Fundo Fale Sem Medo: conheça os projetos selecionados

05/03/2018 - 15:49 -
Print Friendly, PDF & Email
Email this to someoneShare on Facebook0Tweet about this on TwitterShare on Google+0

Parceria entre Fundo ELAS e Instituto Avon pelo fim das violências contra as mulheres apoiará 20 projetos

(Fundo Social Elas, 05/03/2018 – acesse no site de origem)

O Fundo ELAS e o Instituto Avon, parceiros desde 2012, anunciam o resultado do 4º edital do Fundo Fale Sem Medo, que apoia ações de grupos e organizações da sociedade civil que promovem o enfrentamento das violências contra as mulheres. Lançado no dia 25 de novembro de 2017, Dia Internacional da Não-Violência contra a Mulher, o 4º edital do Fundo Fale Sem Medo vai investir ao todo R$ 1.300.000,00 visando o fim das violências contra as mulheres.

Foram selecionados 20 projetos de grupos e organizações dos estados de Amazonas, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Maranhão, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Roraima e São Paulo.

Os projetos atuam pelo fim das violências contra as mulheres, descritas na Lei Maria da Penha, e são liderados por mulheres negras, indígenas, trans, lésbicas, de comunidades atingidas por barragens, entre outras, tendo como foco as políticas públicas e controle social ou a mobilização social e comunicação.

“Agradecemos a todas as organizações que contribuíram, por meio de suas ideias e iniciativas, para a construção de um conjunto de projetos diverso e riquíssimo em possibilidades para o enfrentamento das violências contra as mulheres. Nesta edição, reunimos a experiência e as perspectivas complementares de 20 avaliadoras, protagonistas da causa, para chegarmos a uma seleção que alavancasse aqueles que se destacaram, seja pelo seu caráter inovador, potencial de impacto e escalabilidade, ou ainda pelo seu foco assertivo no fortalecimento da rede de atendimento à mulher em situação de violência. Agradecemos o trabalho voluntário e valioso de cada uma delas, certas de que sua dedicação generosa à causa contribuirá para as transformações que todos desejamos ver”, afirma Daniela Grelin, diretora executiva do Instituto Avon.

“Recebemos 447 projetos de 25 estados de todas as regiões do país, o que mais uma vez reforça a importância dessa parceria pelo fim da violência contra a mulher e de doar recursos para as organizações de mulheres que realizam essa luta por todo o Brasil”, diz Amalia Fischer, coordenadora geral do Fundo ELAS.

Desde 2012, o Fundo Fale sem Medo já apoiou 77 projetos e se fortaleceu com os resultados alcançados pelos grupos apoiados. Já foram alcançadas mais de 52 mil beneficiárias diretas e mais de 2 milhões de beneficiárias indiretas. Com esse novo edital, e os 20 novos projetos selecionados, o Fundo Fale Sem Medo terá apoiado 97 projetos, consolidando-se como o maior protagonista e investidor privado na luta pelo fim das violências contra as mulheres no Brasil e um dos programas que mais tem direcionado recursos para a causa nos últimos anos.

Acompanhe os projetos apoiados no hotsite do Fundo Fale Sem Medo e no Facebook do Fundo ELAS e do Instituto Avon.

Confira a lista de projetos selecionados:

Nome do projeto: Pare: Sinal fechado violência a mulher            
Nome da organização: Associação Beneficente cultural carnavalesca Amuleto
Local: Salvador/BA
Doação: R$22.945
Promover um espaço de acolhimento e afetividade para mulheres em situação de violência doméstica e familiar para afirmação de sua identidade oferecendo atendimento psicológico e jurídico e viabilizando sua formação com rodas de conversas, ferramentas informativas e formativas através de parcerias com SEBRAE, SESC e universidades.

Nome do projeto: Salus – O corpo feminino como território de luta pelo bem viver
Nome da organização: Instituto Transformance: Cultura & Educação e Coletivo Roupas ao Vento
Local: Marabá/PA
Doação: R$23.000
Mobilizar, organizar e participar da criação da Associação de Mulheres do Bairro Cabelo Seco em Marabá. Trabalhar questões da violência com mulheres e homens apoiando a produção de materiais, divulgação, oficinas de formação e convivência, vídeos, mostra e campanha. Realizar ações culturais comunitárias para denunciar a violência contra a mulher.

Nome do projeto: Para elas: Fortalecimento da rede de atenção às mulheres   
Nome da organização: NAVE – Núcleo Assistencial Veleiro da Esperança
Local: Sabará/MG
Doação: R$23.000
Capacitar funcionárias e funcionários públicos que participam direta ou indiretamente da rede de atendimento à mulher em situação de violência no município de Contagem, habilitando equipes interdisciplinares para atuarem na construção de protocolos de atendimento, condições de cidadania e proteção, por meio da capacitação de grupos e rodas de conversas.

Nome do projeto: Garantia do Direito, a Liberdade e a Convivência Familiar
Nome da organização: Federação das Organizações Indígenas do Rio Negro – FOIRN Departamento de Mulheres Indígenas do Rio Negro – DMIRN
Local: São Gabriel da Cachoeira/ AM
Doação: R$25.000
Promover curso de capacitação pelo DMIRN/FOIRN Alto Rio Negro/AM (Departamento de Mulheres Indígenas do Rio Negro) em parceria com a Coordenadoria Geral da Mulher (CREAS), sobre informações da nova legislação com a realização de intercâmbio, oficinas/cursos, seminários e um encontro de Mulheres Indígenas do Rio Negro, sobre os direitos das mulheres indígenas e capacitação sobre a Lei Maria da Penha.

Nome do projeto: Desperta Preta! Para o enfrentamento à violência doméstica.
Nome da organização: Grupo de conscientização negra Omnirá – GCONO
Local: Cururupu/MA
Doação: R$22.541
Desenvolver ações de empoderamento e atividades de formação com mulheres negras urbanas e quilombolas dos municípios de Cururupu e Serrano do Maranhão para o enfretamento à violência doméstica e estimular a organização política e social.

Nome do projeto: Muito Prazer Eu Existo!          
Nome da organização: Associação de Travestis, Transexuais e Transgêneros do Estado de Roraima
Local: Boa Vista/RR
Doação: R$21.800
Promover ações informativas e preventivas com mulheres, travestis, trans e imigrantes que trabalham como profissionais do sexo e estão em situação de violência e exploração em pontos de prostituição e outros ambientes onde as mulheres trabalham. Além disso, o projeto se propõe a propagação da lei Maria da Penha em órgãos públicos e particulares. Parceria com a Defensoria Pública do Estado de RR.

Nome do projeto: Elas por Elas: Mulheres indígenas Transformando suas realidades
Nome da organização: Suraras do Tapajós
Local: Santarém/ PA
Doação: R$23.000
Apoiar a mudança de cenário atual nas questões relacionadas aos direitos econômicos, culturais e ambientais das mulheres indígenas do baixo Tapajós, contribuindo para o fortalecimento e empoderamento dessas por meio da socialização, sensibilização e do enfrentamento ao racismo e as violências moral, psicológica, física e sexual.

Nome do projeto: Não andamos sós: Aliança feminista para a defesa de direitos e pelo fim da violência
Nome da organização: Fórum Cearense de Mulheres – FCM
Local: Fortaleza/CE
Doação: R$23.000
Fortalecer a articulação e construção de alianças e parceria em ações de enfrentamento à violência contra as mulheres e a cultura do estupro lideradas pelos movimentos feministas e de mulheres do Ceará. Elaborar, publicar e divulgar relatório sobre avaliação coletiva de equipamentos públicos de atendimento à mulher e promover formação feminista com militantes do movimento com cursos, ato, visitas em equipamentos de atendimento às mulheres em situação de violência, produção de vídeo e intercâmbio de comunidades.

Nome do projeto: Entre mulheres
Nome da organização: Núcleo de Estudos da Prostituição (NEP)
Local: Porto Alegre/RS
Doação: R$23.000
Criar um grupo de trabalho para planejamento e execução de seis oficinas sobre violências contra mulher a serem realizadas no Espaço Gabriela Leite, situado na Galeria Malcon, com prostitutas e ativistas do movimento de mulheres/feministas com sistematização das reflexões para produção de materiais de comunicação. O projeto tem Parceria com Secretaria Municipal de Saúde e Secretaria Estadual de Saúde.

Nome do projeto: Por Mim, Por Nós e Pelas Outras: Trabalhadoras Domésticas na luta pelo fim da violência contra as mulheres
Nome da organização: Associação das Trabalhadoras Domésticas de Campina Grande – PB
Local: Campina Grande/PB
Doação: R$15.360
Aprimorar entendimento das trabalhadoras domésticas de Campina Grande sobre formas de violência contra a mulher e seu enfrentamento.

Nome do projeto: Diga sim às Mulheres: Criando e Fortalecendo Estratégias para Enfrentar o Feminicídio Negro
Nome da organização: Themis – Gênero, Justiça e Direitos Humanos
Local: Porto Alegre/RS
Doação: R$55.000
O projeto tem o objetivo de desenvolver uma nova ecologia de enfrentamento à violência contra as mulheres, em especial as mulheres negras, através da criação de serviços comunitários de acolhimento às mulheres, associados ao trabalho com a Ouvidoria da Defensoria Pública, produzindo uma estratégia eficaz de denúncia, investigação e proteção de mulheres em situação de violência.

Nome do projeto: Ajuda Mulher – Aconselhamento Jurídico, Psicológico e Social à Mulher
Nome da organização: Grupo Voluntário Ajuda Mulher
Local: São Sebastião do Paraíso/MG
Doação: R$55.000
Projeto oferecerá acompanhamento jurídico, psicológico e socioassistencial às mulheres em situação de violência e promover campanhas educativas sobre a Lei Maria da Penha em empresas, fábricas e escolas, assim como sobre educação para a equidade de gênero na rede municipal de ensino.

Nome do projeto: Colo de Vó
Nome da organização: Associação Cantinho da Vó Georgina
Local: Teresópolis/RS
Doação: R$53.235,70
Ampliar a capacidade de atendimento, abrigo e acolhimento de mulheres em situação de violência, oferecer ciclos de palestras com a comunidade sobre as violências contra as mulheres e implantar uma cooperativa de artesanato no local.

Nome do projeto: Papo Reto – Respeita as Mina!
Nome da organização: Associação Grupo Orgulho, Liberdade e Dignidade – GOLD
Local: Vitória/ES
Doação: R$55.000
Projeto vai promover seminário sobre aplicação da Lei Maria da Penha no que se refere às mulheres travestis, transexuais e lésbicas, além de capacitações com profissionais das DEAMs e palestras sobre violência contra a mulher em equipamentos públicos de Assistência Social e da Rede de Enfrentamento à Violência contra a Mulher da Região da Grande Vitória.

Nome do projeto: Eu Vejo Flores
Nome da organização: Instituto Aurora
Local: Curitiba/PR
Doação: R$54.750
A partir de produção de vídeo documentário, promover rodas de conversa para discutir violência de gênero com adolescentes (homens e mulheres) que vivem ou já vivenciaram situações de cárcere ou medidas socioeducativas. Produzir também de documentário sobre o sistema carcerário feminino e os ciclos de violência em que as mulheres estão inseridas.

Nome do projeto: Maré de Direitos das Mulheres
Nome da organização: Casa das Mulheres da Maré
Local: Rio de Janeiro/RJ
Doação: R$55.000
O projeto visa realizar atendimento psicológico, social e de orientação jurídica às mulheres; articulando essas ações com órgãos de acesso à justiça, além de promover e divulgar informações e dados sobre violência contra as mulheres. Visa também oferecer assessoria técnica aos profissionais da rede pública de saúde e educação sobre violência de gênero e direitos humanos.

Nome do projeto: Rompendo o silêncio dos crimes sexuais e virtuais: atendimento jurídico, educação em direitos e acompanhamento legislativo
Nome da organização: Rede Feminista de Juristas (DeFEMde)
Local: São Paulo/SP
Doação: R$55.000
O objetivo do projeto é melhorar a sistemática do atendimento (inbox – mensagens privadas enviadas pela página do Facebook) para maior rapidez e aprofundamento das orientações jurídicas gratuitas realizadas. Desenvolver também rodas de conversa abertas e cursos de capacitação internos para a equipe. O projeto vai possibilitar ainda a participação do grupo em eventos para criação de parceiras, advocacy e incidência política.

Nome do projeto: Mulheres atingidas por barragens na Amazônia combatendo a violência
Nome da organização: Coletivo de Mulheres do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) no Pará
Local: Belém/PA
Doação: R$55.000
Projeto vai capacitar mulheres lideranças na orientação, prevenção e combate à violência contra as mulheres nas comunidades atingidas pela hidrelétrica de Belo Monte (Xingu) e ameaçadas pelas barragens nas regiões do Tapajós e Marabá (Araguaia-Tocantins). Visa também dar visibilidade aos impactos das barragens na vida das mulheres e sua relação com o aumento da violência contra a mulher, produzindo pesquisa e dossiê sobre o tema.

Nome do projeto: Assistência Obstétrica no Amazonas – Chega de Violência
Nome da organização: Humaniza – Coletivo Feminista
Local: Manaus/AM
Doação: R$51.000
Projeto visa contribuir com a prevenção e erradicação da violência obstétrica, ampliando a atuação estratégica no atendimento às mulheres assistidas pelas Unidades Básicas de Saúde e pelas nove maternidades do município. Serão produzidos materiais impressos e três vídeos a serem exibidos em rodas de conversa em unidades de saúde e maternidades, e será promovido um curso de capacitação sobre violência obstétrica para profissionais da área jurídica, além de uma audiência pública sobre o tema.

Nome do projeto: Enlaçando homens pelo fim da violência contra a mulher
Nome da organização: Instituto Papai
Local: Recife/PE
Doação: R$55.000
Projeto visa promover ações educativas de formação para grupo de adolescentes, especialmente homens, com foco na sensibilização para o enfrentamento e prevenção à violência contra a mulher, engajando-os em uma campanha de comunicação para mobilizar outros homens pelo fim da violência contra a mulher