Há 85 anos, mulheres conquistaram direito ao voto

24/02/2017 - 12:22 -
Email this to someoneShare on Facebook0Tweet about this on TwitterShare on Google+0

Em 24 de fevereiro de 1932, por meio do Código Eleitoral Provisório do governo Getúlio Vargas, as mulheres brasileiras conquistaram o direito de votar nas eleições nacionais. O código permitia que somente mulheres casadas, viúvas e solteiras com renda própria pudessem votar.

(Folha de S.Paulo, 24/02/2017 – acesse no site de origem)

Apenas no Código Eleitoral de 1934, com a pressão das sufragistas e a queda das restrições do código anterior, o pleno exercício do voto feminino foi efetivado, mas a obrigatoriedade do voto era destinada ao eleitor masculino. O voto feminino só passou a ser obrigatório em 1946. Homens e mulheres analfabetos conquistaram direito ao voto em 1985.

Leia mais: Voto feminino no Brasil completa 85 anos (Agência Senado, 23/02/2017)

AS MULHERES NA POLÍTICA
1927
Celina Guimarães (foto no alto, depositando voto na urna), professora de Mossoró (RN), torna-se a primeira brasileira a fazer o alistamento eleitoral.

1929
O Rio Grande do Norte é considerado pioneiro na garantia do voto feminino. Em 1929, Alzira Soriano foi eleita a primeira prefeita do Brasil, na cidade de Lages.

1933
É eleita a primeira deputada brasileira, Carlota Pereira de Queirós, de São Paulo, conforme registra o caderno Folhetim de 1982.

1934
Maria Thereza Nogueira de Azevedo e Maria Thereza Silveira de Barros Camargo foram as primeiras deputadas de São Paulo.

1947
Elisa Kauffmann Abramovich é eleita primeira vereadora da Câmara Municipal de São Paulo. Na época, o Tribunal Superior Eleitoral cancelou a inscrição do Partido Social Trabalhista, invalidando a candidatura de Elisa. O reconhecimento de Elisa Kauffmann Abramovich como vereadora veio em 2013, pelas resoluções 13/2013 e 20/2013, do vereador Orlando Silva (PCdoB).

1968
Eleita na década de 1960, Theodosina Rosário Ribeiro torna-se a primeira vereadora negra da Câmara Municipal de São Paulo.

1979
A primeira mulher a ocupar um lugar no Senado é Eunice Michiles (PDS-AM).

1982
Esther de Figueiredo Ferraz, considerada a primeira ministra de Estado, assume a pasta da Educação e Cultura.

1985
Maria Gardenia Santos Ribeiro Gonçalves, de São Luís (MA), e Maria Luiza Fontenelle, de Fortaleza (CE), são as primeiras prefeitas de capitais.

1986
Iolanda Fleming, após ida de Nabor Júnior para o Senado, assume como primeira governadora do Acre.

1988
A paraibana Luiza Erundina, na época filiada ao PT, é eleita a primeira prefeita da cidade de São Paulo.

1990
De acordo com reportagem da Folha, na década de 1990, as primeiras mulheres eleitas senadoras foram Júnia Marise (PRN-MG) e Marluce Pinto (PTB-RR). Eva Blay (PSDB-SP), suplente de Fernando Henrique Cardoso, assumiu o mandato dele quando o tucano se tornou ministro do ex-presidente Itamar Franco.

1994
Rosaena Sarney, filha de José Sarney, é a primeira governadora eleita do Maranhão.

2002
Com a renúncia do então governador Anthony Garotinho, Benedita da Silva assume a chefia do Executivo, tornando-se a primeira mulher negra a governar o Estado.

2010
Após derrotar José Serra (PSDB), Dilma Rousseff (PT) é eleita a primeira presidente da República.

2014
Numa disputa acirrada, Dilma Rousseff (PT) derrota o candidato Aécio Neves (PSDB) e é reeleita.

2016
Em agosto de 2016, o plenário do Senado aprovou o impeachment de Dilma Rousseff. Por 61 votos a 20, o Senado condena Dilma por crime de responsabilidade pelas chamadas “pedaladas fiscais”.