Dois a cada três brasileiros já viram uma mulher sofrer violência, mostra estudo

09/05/2017 - 11:25 -
Email this to someoneShare on Facebook0Tweet about this on TwitterShare on Google+0

Pelo menos dois a cada três brasileiros já presenciaram uma mulher sofrer violência. É o que revela a pesquisa Visível e Invisível: a vitimização de mulheres no Brasil, realizada pelo Instituto Data Folha, Instituto Avon e o Fórum Brasileiro de Segurança Pública, apresentado nessa terça-feira (9), em Brasília.

(Portal Brasil, 09/05/2017 – Acesse o site de origem)

A pesquisa teve abrangência nacional e foi realizada em fevereiro de 2017. De acordo com o estudo, 66% dos brasileiros presenciaram uma mulher sendo agredida física ou verbalmente em 2016; 73% da população acredita que a violência contra as mulheres aumentou nos últimos 10 anos; 51% da população viram mulheres sendo abordadas na rua de forma desrespeitosa e 40% das mulheres entrevistas já sofreram algum tipo de assédio.

A secretária especial de Políticas para as Mulheres, Fátima Pelaes, participou da apresentação. “Fizemos uma pesquisa, em parceria com Instituto Maria da Penha, que apresentou dados complementares. Quando falamos de violência contra a mulher, o número de pessoas que afirmam é pequeno, mas quando é explicado o que é compreendido como violência pela Lei Maria da Penha, os números aumentam bastante, são alarmantes”, afirmou.

Leia aqui a íntegra do estudo “Visível e invisível: a vitimização de mulheres no Brasil”

Segundo a secretária, o que a pesquisa revela é uma melhor perspectiva do que é violência, e ao mesmo tempo é um instrumento valioso de conscientização da sociedade de mudança de comportamento.

“Quando falamos que a cada hora 503 mulheres foram vítimas de violência física no Brasil, percebemos que mais mulheres estão reconhecendo a violência que sofrem, o que possibilita a ajuda para quebrar esse ciclo de violência”, explica Fátima.

Uma ação do governo para combater a violência que está sendo articulada é a Rede Brasil Mulher de uma ampla mobilização nacional que deverá ser anunciada nos próximos dias. “Estamos construindo junto com vários parceiros da sociedade civil, governos, judiciário e institutos internacionais uma ampla mobilização de enfrentamento, prevenção à violência e promoção da igualdade entre mulheres e homens”, conta a secretária.

Treinamento

A apresentação da pesquisa faz parte do Programa “Respostas Eficazes à Violência Contra as Mulheres”, realizado pelo Instituto Avon, pela ONG americana Vital Voices e pelo Fórum Brasileiro da Segurança Pública. O evento acontece em Brasília de 8 a 11 de maio. Participam representantes de cinco estados que fazem parte da Rede de Enfrentamento da Violência contra a Mulher.

Apresentação e relatório analítico da pesquisa.

Fonte: SPM