Médico detido, suspeito de estupros, tem prisão revogada em Valadares

628
0
Compartilhar:
image_pdfPDF

(G1, 05/07/2016) Defesa conseguiu habeas corpus junto ao STJ, em Brasília. Mesmo sem restrições, ele não atuará na medicina no momento, diz defesa.

O médico Ricardo Aranha Magalhães, suspeito de cometer estupro de vulnerável contra pacientes sedadas em Governador Valadares, teve a prisão revogada nesta terça-feira (5), em virtude de um habeas corpus concedido pelo Superior Tribunal de Justiça (STF) em Brasília.

Segundo o advogado, Bruno Madeira, a defesa do médico se dirigiu diretamente ao STJ, para garantir o direito Ricardo Aranha responder o processo em liberdade. A medida não impõe restrições para que Ricardo Aranha volte a atuar como médico, mas o advogado afirma que o cliente dele não tem intenção de clinicar até o fim das investigações.

“Ele é o maior interessado de que essa situação seja esclarecida. Por isso vai ficar em casa por enquanto, descansando, após quase 20 dias de prisão. O habeas corpus foi concedido devido ao fato dele ser réu primário e também por estar colaborando com as investigações”, afirmou Bruno Madeira.

A delegada responsável pelo caso, Adeliana Xavier, afirmou que a liberação do médico não traz prejuízos à investigação. “O prazo da prisão temporária já estava próximo de vencer, então só anteciparam um pouco. Mas tudo que nós precisávamos fazer já foi feito, portanto não compromete nosso trabalho”, aponta Adeliana.

Ela disse ainda que após a prisão do Ricardo Aranha, uma nova vítima se apresentou à Polícia Civil denunciando o médico. Com esta última, até o momento seis vítimas acusam o médico pelo crime estupro de vulnerável. Segundo Adeliana Xavier, o inquérito será concluído e relatado à Justiça ainda este mês.

Entenda o caso

Ricardo Aranha foi preso no dia 17 de junho logo após ter se apresentado à Polícia Civil para prestar depoimento em inquérito que investiga uma denúncia de estupro feita por uma paciente de 25 anos. A jovem deu queixa na Delegacia de Mulheres, afirmando que realizou uma endoscopia com o médico na manhã do dia 15 de junho, e ao chegar em casa constatou ferimento na vagina, após passar os efeitos dos sedativos utilizados para o exame do sistema digestório.

Adeliana Xavier afirmou que a rapidez com que o laudo do IML constatou o estupro foi decisiva para a obtenção de mandado de prisão contra o médico. Segundo ela, o Ricardo Aranha responde por outro inquérito de 2014, em que é acusado do mesmo crime por outras duas pacientes, mãe e a filha. Durante as interrogatórios realizados naquele ano, a delegada identificou uma terceira vítima, mas devido à falta de provas não foi possível levar as investigações adiante.

Zana Ferreira

Acesse no site de origem: Médico detido, suspeito de estupros, tem prisão revogada em Valadares (G1, 05/07/2016)

Compartilhar: