Candidatas são preteridas na distribuição do fundo eleitoral

8M Marcha das Mulheres Rio de Janeiro RJ Fot Mídia Ninja

Marcha das Mulheres no Dia Internacional das Mulheres no Rio de Janeiro/RJ. Foto: Mídia Ninja

12 de setembro, 2022 Por Estadão

Mulheres receberam 29% da verba para bancar campanhas à Câmara e homens levaram 71% dos R$ 4,9 bi do ‘fundão’

(Vinícius Valfré/Estadão) A menos de um mês da eleição, os partidos têm privilegiado os homens em detrimento das mulheres na distribuição de recursos para as campanhas de deputados federais. Até agora, os caciques partidários colocaram R$ 1,26 bilhão do fundo eleitoral para eles e R$ 518,8 milhões para elas.

Embora representem 36,4% dos postulantes à Câmara, o equivalente a 2.094 candidatas, as mulheres só tiveram 29,1% do fundo para financiamento dos gastos. Os homens são 63,6% dos candidatos (3.662) e tiveram 70,9% do fundo. A título comparativo, é como se cada mulher tivesse recebido, em média, R$ 247,7 mil do fundo eleitoral e cada homem, R$ 344,7 mil.

Com menos dinheiro, as chances de eleição diminuem. Atualmente, dos 513 deputados, 77 são mulheres – o equivalente a 15% do plenário. Na população, elas são 51%.

Desequilíbrio

O cenário expõe a discrepância entre gêneros na política, apesar dos incentivos legais para equiparação das condições de disputa. Uma das consequências é o desequilíbrio na representação feminina na política nacional.

Acesse a matéria completa no site de origem.

Nossas Pesquisas de Opinião

Nossas Pesquisas de opinião

Ver todas
Veja mais pesquisas