Líderes religiosos são os principais abusadores de mulheres e crianças, diz Damares

1320
0
Compartilhar:
image_pdfPDF

Ministra da Mulher e dos Direitos Humanos negou ser contra a educação sexual nas escolas

(O Globo, 10/04/2019 – acesse no site de origem)

A ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, afirmou nesta quarta-feira que dados do Disque 100 revelam que líderes religiosos são os principais abusadores de mulheres e crianças. As denúncias ao Disque 100 mostram que essa proporção é de 11% envolvendo essas lideranças, a maior dentre as acusações repassadas à equipe do ministério que cuida do serviço, segunda a ministra.

A afirmação foi feita por Damares em audiência nesta quarta-feira na Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara. A ministra discutiu o esvaziamento de conselhos de representação popular, patrocinado pelo governo de Jair Bolsonaro.

Damares já relatou ter sido abusada sexualmente na infância por um líder religioso. Segundo ela, o ministério vai fazer um “enfrentamento” da questão:

— Vou fazer esse enfrentamento. Vamos enviar uma proposta em que a pena por abuso seja agravada se for cometida por um líder religioso.

Damares negou ser contra a educação sexual nas escolas:

— Não somos contra a educação sexual nas escolas. Se eu tivesse ouvido na escola que aquilo é um abuso, eu teria gritado. Era um homem que eu amava, um sacerdote.

O ministério acompanha as dezenas de casos de abuso sexual envolvendo o líder religioso João de Deus, segundo Damares, que classificou o caso como “o maior caso de abuso sexual do mundo”.

— É mais uma tragédia para esse país — afirmou.

A ministra disse ainda que o Disque 100 abriu um canal para denúncias de violações de direitos humanos em alojamentos de times de futebol, depois do incêndio no centro de treinamento do Flamengo que deixou dez jovens mortos.

— Vocês não têm ideia da quantidade de denúncias que está chegando.

Damares ainda falou sobre aborto. Segundo ela, não haverá “militância” nem contra nem a favor da descriminalização do aborto.

— A espinha dorsal do ministério é a defesa da vida — disse a ministra.

Compartilhar: