Patrícia Galvão Podcast: novo episódio debate a importância das redes de apoio em casos de estupro

310
0
Compartilhar:
image_pdfPDF

Coordenadora de projetos na ONG Criola, Lia Manso é a convidada da série Direito ao aborto em caso de estupro

(Agência Patrícia Galvão | 19/01/2022)

As consequências das violências sexuais são múltiplas para as meninas e mulheres vítimas, por isso é preciso fortalecer as redes de apoio, assim como qualificar e universalizar o atendimento e o acolhimento nos sistemas de saúde, segurança pública e justiça. Para a advogada Lia Manso, convidada do quinto episódio da série Direito ao aborto em caso de estupro, do Patrícia Galvão Podcast, “a escuta [das vítimas de estupro] precisa estar vinculada com a ética antirracista e feminista”, considerando a centralidade das mulheres e meninas cis  e trans e dos homens trans para pensar um acolhimento adequado. 

No programa, Lia Manso, que atua como coordenadora de projetos na ONG Criola, reflete sobre os dados da pesquisa Percepções sobre estupro e aborto previsto por lei, realizada pelos institutos Patrícia Galvão e Locomotiva em 2020. Segundo a pesquisa, 58% das mulheres entrevistadas disseram que contariam a uma mulher próxima, caso engravidassem em decorrência de um estupro, e 32% disseram que falariam com alguém da área da saúde ou da polícia.

Série Direito ao aborto em caso de estupro

O objetivo da série é debater os dados da pesquisa Percepções sobre estupro e aborto previsto por lei, realizada pelos institutos Patrícia Galvão e Locomotiva em 2020. Acesse a íntegra da pesquisa aqui. Confira também os outros episódios da série: 

Compartilhar: