TSE vai ter canal de denúncia de casos de violência política contra mulheres

Violência_união_política_ gênero_ Agência Brasil

Foto: Agência Brasil

02 de agosto, 2022 Por O Globo

O presidente da Corte, Edson Fachin, e o procurador-geral da República, Augusto Aras, firmam hoje parceria para enfrentar questão

(Rafael Moraes Moura/O Globo) O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Edson Fachin, e o procurador-geral da República, Augusto Aras, assinam nesta segunda-feira (1), às 18h, um protocolo que prevê uma parceria da Justiça Eleitoral com o Ministério Público no enfrentamento da violência política contra mulheres.

Esse problema é considerado pela Justiça Eleitoral uma das causas da reduzida participação feminina na política brasileira. As mulheres, hoje, são a maioria do eleitorado brasileiro (52,7%), mas ocupam apenas 15% de cargos eletivos.

A equipe da coluna apurou que o protocolo vai prever a criação de um canal de denúncia específico para cuidar de casos dessa natureza. Qualquer pessoa que tiver conhecimento de episódios de violência política poderá acionar as autoridades pela internet.

O link vai ser amplamente divulgado na página principal do TSE e na ouvidoria do tribunal – e a expectativa é a de que os 27 tribunais regionais eleitorais espalhados pelo país também deem destaque para a iniciativa.

Acesse a matéria completa no site de origem.

Nossas Pesquisas de Opinião

Nossas Pesquisas de opinião

Ver todas
Veja mais pesquisas