Não há que se falar em culpa da vítima, mas de responsabilidade de todo o aparato estatal”, analisa Firmiane Venâncio

Compartilhar:
image_pdfPDF

Novo vídeo integra a série baseada na pesquisa Percepções da população brasileira sobre feminicídio

(Agência Patrícia Galvão | 23/02/2022)

 

A culpabilização das mulheres vítimas de violência é tema do novo vídeo da Agência Patrícia Galvão, que integra a série baseada na pesquisa Percepções da população brasileira sobre feminicídio, realizada pelo Instituto Patrícia Galvão e Locomotiva, com apoio do Fundo Canadá. De acordo com o levantamento, 65% consideram que o homem que comete feminicídio é o responsável pelo crime e deve ser punido. Mas, 1 em cada 3 também culpa a mulher pelo feminicídio. 

Para a subdefensora pública geral do estado da Bahia, Firmiane Venâncio, que participa do vídeo, “o feminicídio é o ponto mais agudo do ciclo de violência vivido por mulheres. E decorre, indiscutivelmente, da falha em todos os mecanismos preventivos a este tipo de situação. Neste tema, portanto, não há que se falar em culpa da vítima, mas de responsabilidade de todo o aparato estatal que se mostrou ineficaz e insuficiente para evitar a morte violenta de mulheres”.

Acesse a íntegra da pesquisa e acompanhe a programação da Agência Patrícia Galvão.

 

 

 

 

 

 

 

Compartilhar: