Movimentos sociais realizam mutirão para retificar registro civil de Travestis e Transexuais – Niterói/RJ, 24/09/2015

1237
0
Compartilhar:
image_pdfPDF

No dia 24 de setembro, 5ª feira, o Grupo Transdiversidade Niterói (GTN), o Grupo Diversidade Niterói (GDN) e o Centro de Cidadania LGBT Leste realizam o 1º Mutirão para Organização do Processo de Retificação do Registro Civil da população de Travestis e Transexuais de Niterói, São Gonçalo e Maricá. A atividade acontece na sede do GTN, à partir das 19h.

O reconhecimento do nome social de travestis e transexuais é uma defesa do mandato do vereador Leonardo Giordano, através do Projeto de Lei 077/13, que visa reconhecer a identidade particular de cada um.

“Essa é uma iniciativa muito importante, que está sintonizada a uma lei que a cidade de Niterói está discutindo para reconhecer o nome social de travestis e transexuais no poder público. O projeto segue em análise da Comissão de Constituição e Justiça da Câmara. Parabenizo as entidades envolvidas pela iniciativa, porque ela tem a ver com o reconhecimento de um direito justo e com o respeito que essas pessoas merecem e que sucessivamente são negados”, aplaude Giordano.

Segunda Bruna Benevides, vice-presidente do GTN, a retificação do nome, de acordo com a identidade de gênero da pessoa, além de ser uma antiga luta e reivindicação da população de travestis, mulheres transexuais e homens trans, é também uma forma de melhorar a qualidade de vida, reconhecer e manter direitos.

“O preconceito e a desinformação da população contribuem para a discriminação contra Travestis e Transexuais. Estamos falando de um grupo de pessoas marginalizado e preterido, principalmente no mercado de trabalho. Muitas vezes, as empresas se negam a empregar uma travesti, ainda que ela seja completamente qualificada para o cargo. Sem alternativas, algumas acabam trabalhando como profissionais do sexo. Imagina uma pessoa ir a uma entrevista de emprego, ter o nome de ‘José’, e o entrevistador estar diante de uma mulher transexual? Queremos mudar isso”, justifica.

As demanda recebidas serão encaminhadas à assessoria jurídica para organização e acompanhamento do processo junto à Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro, no Núcleo de Defesa da Diversidade Sexual e Direitos Homoafetivos.

Apoia a atividade Coordenadoria de Direitos Difusos e Enfrentamento à Intolerância Religiosa (CODIR/Prefeitura de Niterói). Com uma equipe formada por psicóloga, assistente social e advogada, o Centro de Cidadania LGBT Leste também estará presente, prestando esclarecimentos e atendendo interessadas e interessados.

SERVIÇO:

Local: Grupo Transdiversidade Niterói (GTN) – Rua Visconde do Rio Branco, 627, sobreloja, Centro de Niterói.
Dia: Quinta-feira, 24 de setembro.
Hora: 19h
Pré-requisitos: Levar Identidade, CPF e Comprovante de Residência.
Para mais informações: (21) 3617.0251 – GTN e 2620-7970 – CODIR

Compartilhar: