Saúde e tráfico de mulheres em debate na próxima terça-feira – Brasília, DF, 31/03/2015

1460
0
Compartilhar:
image_pdfPDF

Organizações do movimento de mulheres que realizam o monitoramento da Convenção sobre a Eliminação de todas as Formas de Discriminação contra a Mulher, conhecida como CEDAW, vão discutir temas como aborto e tráfico de mulheres

Integrantes do Consórcio de Monitoramento da Convenção CEDAW discutirão com a ministra Eleonora Menicucci, da Secretaria de Políticas para as Mulheres,  além de outros integrantes do governo e parlamentares, caminhos para que o Brasil implemente as Recomendações do Comitê das Nações Unidas relativas a dois temas considerados cruciais para o Brasil: tráfico de mulheres e mortalidade materna.

Leia mais: Senado e Câmara discutem a regulamentação do aborto (Senado Notícias, 26/03/2015)

Segundo as Recomendações divulgadas em janeiro deste ano, o Brasil cumpriu apenas parcialmente as obrigações assumidas para reduzir e controlar o tráfico de mulheres e não implementou as políticas de saúde necessárias para reduzir as mortes de mulheres durante a gravidez, parto, puerpério e abortos inseguros.

O Comitê CEDAW recomendou ao governo, entre outras medidas, que atue junto aos parlamentares do Congresso Nacional para evitar que as restrições ao direito ao aborto possam levar mais mulheres à morte.

Sobre o Monitoramento da CEDAW

Coordenado pelas ONGs Rede Feminista de Saúde Direitos Sexuais e Direitos Reprodutivos, Coletivo Feminino Plural, Núcleo Interdisciplinar de Estudos sobre Mulher e Gênero da UFRGS, e pelo Comitê para a América Latina e Caribe para os Direitos da Mulher – Cladem Brasil, o Consórcio de Monitoramento da CEDAW é composto por 13 redes e organizações que ao longo de 2013/2014 elaboraram relatórios paralelos aos governamentais para subsidiar a análise dos representantes das Nações Unidas.

Neste período, o Consórcio produziu três publicações contendo relatórios, recomendações e textos com análises sobre Saúde da Mulher e Tráfico de Mulheres, que serão entregues à Ministra, a parlamentares que compõem a bancada feminina do Congresso Nacional, e à representante da ONU Mulheres no Brasil, Nadine Gasman.

A proposta do grupo é manter uma articulação permanente, já que a cada ano o Brasil presta contas ao Comitê CEDAW sobre a Convenção e, a cada dois anos, sobre dois temas destacados. Segundo essa lei internacional de direitos da mulher, os governos devem apoiar os movimentos sociais e a sociedade civil no trabalho de fiscalização da implementação, fornecendo os recursos necessários para sua execução.

Saiba mais sobre o Projeto de Monitoramento da CEDAW em:

www.monitoramentocedaw.com.br

Presenças confirmadas na reunião em Brasília:

Representando o Consórcio de Redes e Organizações da Sociedade Civil:

– Telia Negrão – Coletivo Feminino Plural

–  Clair Castilhos – Rede Feminista de Saúde Direitos Sexuais e Direitos Reprodutivos

–  Ingrid Leão – Cladem/Brasil)

– Estela Scandola – Comitê Nacional de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas (Conatrap)

Parlamentar:

– deputada Maria do Rosário Nunes (organizadora do encontro com a bancada feminina)

Conselheiras de Saúde:

– Socorro Souza (presidenta)

Comissão da Mulher do Conselho Nacional de Saúde:

– Santinha Tavares (presidenta)

Serviço:
Audiência com ministra Eleonora Menicucci
Secretaria de Políticas para as Mulheres (SPM)
Brasília / DF
Dia: 31 de março de 2015 (terça-feira)
Horário: 15h

Compartilhar: