27/01/2011 – Raro em jovens, câncer de mama impõe desafios a pacientes (G1)

368
0
Compartilhar:
image_pdfPDF
(Portal G1)(Estadão)O Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (Icesp) levantou o perfil das mulheres que passaram pelo hospital para tratamento de câncer de mama. Entre as 2.573 pacientes atendidas nos quase três anos de funcionamento da instituição, 15% têm menos de 45 anos. A mais jovem tinha, na época em que recebeu o diagnóstico, apenas 19 anos.

Crescimento no número de casos é expressivo em todas as faixas etárias, mas é mais preocupante nas mulheres em idade reprodutiva, por ser mais agressivo e difícil de detectar; especialistas defendem rastreamento para todas a partir dos 40 anos de idade.

Mas há um alerta para o estilo de vida das mulheres submetidas ao mercado de trabalho. “Hoje as mulheres engravidam mais tardiamente, menstruam mais tarde, tomam hormônio, comem mal, sofrem estresse. Os estudos apontam que tudo isso pode propiciar o desenvolvimento de câncer.

””No século 19, as mulheres menstruavam mais tarde e logo casavam e tinham filhos. Amamentavam mais tempo e entravam mais cedo na menopausa. A mama passava menos tempo sob o estímulo dos hormônios ovarianos”, explica Nazário. Além disso, continua, a entrada no mercado de trabalho deixou a mulher mais predisposta a sofrer de estresse, depressão e ansiedade, fatores que enfraquecem as defesas do organismo contra o câncer.

Especialistas concordam que pouco se pode fazer para evitar o problema. A melhor forma de se proteger e diminuir a mortalidade é o diagnóstico precoce. “Não dá para a mulher jogar fora o que conquistou, sair do mercado de trabalho e voltar a ter um filho atrás do outro. Mas dá para detectar o câncer em fase inicial, quando é mais fácil tratar”, afirma Nazário. Quando o tumor é diagnosticado e tratado quando o nódulo é menor que 1 centímetro, as chances de cura chegam a 95%.

Leia matérias completas: Raro em jovens, câncer de mama impõe desafios a pacientes (Portal G1 – 27/01/2011)
Câncer de mama aumenta em jovens (O Estado de S. Paulo – 03/01/2011)

Compartilhar: