20 países já notificaram microcefalia e outras más-formações associadas ao zika

Compartilhar:
image_pdfPDF

A Organização Mundial da Saúde realizou mais uma reunião com seu grupo focal de zika para discutir a magnitude da epidemia. Órgão manteve emergência de saúde pública

(Marina Pita/Agência Patrícia Galvão, 01/08/2016)

Com o intuito de reavaliar a situação de epidemia de infecção por zika vírus e o decorrente estado de emergência de saúde pública de magnitude global, a Organização Mundial da Sáude (OMS) realizou nesta quinta-feira (2) uma reunião do comitê temático em que manteve o alerta de emergência de saúde pública global, atualizou dados epidemiológicos e divulgou um novo protocolo de recomendações para gerenciar e tratar os bebês nascidos com suspeita de síndrome congênita do zika.

Segundo o comunicado, 20 países já registram nascimentos de bebês com microcefalia ou outras más-formações do sistema nervoso central indicativas de infecção congênita pelo zika vírus. Quatro dos vinte países mencionados não registraram transmissão local. As más-formações nestes países ocorreram em bebês cujas mães estiveram em países onde há infecção por zika.

Nos Estados Unidos, evidências laboratoriais apontam para 16 bebês nascidos vivos com más-formações e cinco mortes fetais por más formações decorrentes da infecção por zika.

Onze países já registraram transmissão do zika de pessoa para pessoa. A crescente transmissão de pessoa para pessoa, sem picada do mosquito aedes aegypti, preocupa as autoridades que reforçam a importância dos Estados trabalharem para disseminar a importância do uso de preservativo.

Tabela países com ocorrência de microcefalia

 

Compartilhar: