Anemia: mulheres e crianças são as mais afetadas

2394
0
Compartilhar:
image_pdfPDF

(Diário OnLine, 23/05/2014) Estima-se que 30% da população mundial sofra de algum tipo de anemia e grande parte dessas vítimas são mulheres e crianças – de três mulheres no mundo, pelo menos uma apresenta os sintomas da anemia e esse mal que rouba a nossa energia é bem comum do que se imagina. Porém, os homens – adolescentes e adultos – e também os idosos podem ser afetados pela anemia.

A doença é caracterizada pela redução dos glóbulos vermelhos ou da hemoglobina – responsável pela circulação do oxigênio pelo corpo. Quando há irrigação suficiente de oxigênio, o funcionamento do organismo fica comprometido e as causas para esta deficiência são várias. As mais comuns estão ligadas à alguma deficiência de vitaminas no organismo ou pode ser provocada também em consequência de lesões na flora intestinal, provocadas por vermes ou parasitas, levando a pequenas hemorragias nas paredes do intestino, o que altera a harmonia dos componentes do sangue.

As mulheres em idade fértil acabam perdendo uma grande quantidade de sangue durante a menstruação e no pós-parto. Na gestação, precisam de doses extras do nutriente para ajudar no desenvolvimento da criança. Nesses casos, quando não há a reposição de ferro, surgem os sintomas da anemia: palidez, sonolência, fraqueza, dores musculares e de cabeça.

Estudos apontam a associação de anemia em crianças que tiveram pouco tempo de aleitamento materno exclusivo, alimentação prolongada com leite de vaca e com a introdução da alimentação complementar precoce. A doença em crianças pode gerar retardo do crescimento, comprometimento da capacidade de aprendizagem (desenvolvimento cognitivo), da coordenação motora e da linguagem, efeitos comportamentais como a falta de atenção, fadiga, redução da atividade física e da afetividade, assim como uma baixa resistência a infecções. Nas grávidas, a anemia é associada ao baixo peso ao nascer e a um incremento na mortalidade perinatal. Porém, bastam pequenas mudanças na dieta para prevenir a falta de ferro no organismo.

OS TIPOS DA DOENÇA

Anemia Falciforme: Se manifesta quando a hemoglobina produz eritrócitos em deformidade. Nesse caso, deve se evitar alimentos ricos em ferro e consumir itens ricos em ácido fólico;

Anemia por deficiência de ácido fólico: É a carência de vitamina B9 no organismo. O ácido fólico é um componente da vitamina complexo B. No tratamento desse tipo de anemia recomenda-se o consumo de alimentos como folhas verdes, legumes, grãos integrais, levedura de cerveja. Em alguns casos, há necessidade de reposição vitamínica com medicamento à base de ácido fólico;

Anemia Perniciosa: É a falta da vitamina B12. È recomendado reforçar a alimentação com itens ricos nessa fonte vitamínica como fígado, ovos, carnes, leite e seus derivados e folhas verdes;

Anemia ferropriva: É a mais comum e consiste na falta de ferro no organismo a reposição desse mineral é feita através de medicamentos e alimentos como rim, fígado, frutas secas, ervilhas, vegetais verde escuro, pão integral.

SINTOMAS

Os sinais e sintomas da anemia por carência de ferro são inespecíficos e precisam de exames laboratoriais (sangue) para que seja confirmado, porém sintomas como cansaço e indisposição constantes são sinais de anemia ferropriva, ou seja, a causada pela ausência de ferro no organismo. Os outros principais sinais e sintomas da anemia por carência de ferro são:

-Tonturas, dor de cabeça, irritabilidade;

-Palidez nas pálpebras, unhas, língua;

– Fraqueza, cansaço, falta de ar;

-Queda de cabelo, enfraquecimento das unhas;

– Falta de concentração, falta de apetite, sonolência

– Baixa imunidade no organismo, desmaios, febres

Para um diagnóstico seguro sobre que tipo de anemia se está, a consulta médica é a primeira atitude correta a ser tomada. Apenas o médico, através de exames de sangue poderá dizer que tipo de tratamento deve ser seguido. Confira dicas de alimentação e veja como é feito o tratamento da doença.

Acesse o PDF: Anemia: mulheres e crianças são as mais afetadas

 

 

 

 

Compartilhar: