Como prevenção ao Zika vírus, detentas gestantes recebem repelentes

611
0
Compartilhar:
image_pdfPDF

(Sejusp, 25/04/2016) Reeducandas grávidas em Mato Grosso do Sul estão recebendo da Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen) repelentes para prevenção a picadas do mosquito Aedes aegypiti, transmissor da dengue da febre chikungunya e do vírus Zika, mais temido entre as gestantes por causar microcefalia em bebês.

Os repelentes foram fornecidos pelos ministérios da Justiça e da Saúde, com repasse feito aos sistemas penitenciários de todo o Brasil por meio do Departamento Penitenciário Nacional (Depen). A iniciativa integra uma série de outras ações para combater o mosquito, envolvendo também treinamento de servidores e internos, mutirão para detecção de possíveis focos, entre outras ações.

O MS recebeu do Governo Federal 184 repelentes para serem distribuídos às gestantes que estão reclusas. De acordo com a Divisão de Saúde da Agepen, atualmente 29 custodiadas estão grávidas. “Com isso, temos uma média de seis repelentes por gestante”, destaca a chefe da Divisão de Saúde, Maria de Lourdes Delgado Alves.

No Estabelecimento Penal Feminino “Irmã Irma Zorzi” (EPFIIZ), na Capital, a entrega foi realizada na última semana. No local, quatro reeducandas estão gestantes, entre elas Rosana Gonçalves Mendes, 26 anos, grávida de quatro meses. “É muito importante esse cuidado a mais, já que queremos que nossos bebês nasçam bem, com saúde e não desenvolvam microcefalia; a gente fica um pouco mais tranquila”, destacou a interna.

Durante a entrega dos repelentes, a enfermeira do EPFIIZ, Martha Goulart, salientou que iniciativa tem caráter preventivo e que irá reforçar o trabalho que já é realizado com as gestantes no presídio. “Apesar das custodiadas passarem por acompanhamento pré-natal e realizarem os exames necessários, a prevenção ainda é o melhor remédio”, reforçou.

Até o momento, conforme a Divisão e Saúde da Agepen, não houve nenhum caso confirmado de dengue, zika ou chikungunya entre custodiados, tanto do sexo feminino quanto do masculino.

Ações

De acordo com o diretor de Assistência Penitenciária da Agepen, Gilson de Assis Martins, várias ações dentro da campanha já estão sendo realizadas nas unidades prisionais do Estado. Segundo ele, estão sendo indicados pelas direções dos presídios servidores responsáveis por coordenar as ações de limpeza e manutenção, visando extinguir e evitar focos dos mosquitos da dengue. “Este trabalho é acompanhado também pelas coordenadorias de vetores das secretarias municipais de Saúde”, ressalta Gilson.

Várias inspeções já foram realizadas, informa o dirigente, envolvendo a retirada de depósitos inservíveis, aplicação de inseticida, tratamento de caixas de passagem de esgoto, limpeza de calhas etc.

Acesse o site de origem:  Como prevenção ao Zika vírus, detentas gestantes recebem repelentes (Sejusp, 25/04/2016)

Compartilhar: