Desde a legalização, Uruguai não registra mortes de mulheres por aborto

1442
0
Compartilhar:
image_pdfPDF

(TNOnline, 18/09/2014) Desde a legalização do aborto no Uruguai, em dezembro de 2012, até maio de 2013, nenhuma mulher faleceu vítima do procedimento. No período, 2.550 abortos foram realizados no país. A informação foi publicada pela UPI (United Press Internacional) na última semana.

Segundo o Ministério da Saúde Pública uruguaio, dez em cada mil mulheres entre 15 e 44 anos já fizeram pelo menos um aborto. O subsecretário da Saúde Pública, Leonel Briozzo, informou, ainda, que o dado coloca o país entre os que registram as menores taxas do procedimento ao lado dos países europeus.

Despenalização do aborto

Na prática, a nova lei despenaliza o aborto antes das 12 semanas se forem seguidos os procedimentos regulados pelo Estado.

As mulheres podem solicitar um aborto em qualquer centro sanitário público ou privado, que a partir de dezembro de 2012 foram “obrigados a realizar a intervenção e garantir que o procedimento seja feito por terceiros em casos de objeção de ideário”, destacou à Rádio Carve Leticia Rieppi, diretora de Saúde Sexual e Reprodutiva do Ministério de Saúde Pública.

As autoridades sanitárias uruguaias publicaram um manual e um guia de procedimentos que as mulheres, os hospitais, as clínicas e os médicos devem seguir para praticar os abortos.

Acesse no site de origem: Desde a legalização, Uruguai não registra mortes de mulheres por aborto (TNOnline, 18/09/2014)

 

Compartilhar: