Casos de gestantes com vírus zika crescem no Centro-Oeste de MG

352
0
Compartilhar:
image_pdfPDF

Região teve 4 contaminações de janeiro a julho de 2016; agora já soma 18. Vinte e quatro pessoas morreram com dengue; Itaúna e Divinópolis lideram

(G1, 07/09/2016 – Acesse no site de origem) 

A região Centro-Oeste de Minas somou 17 casos de gestantes contaminadas pelo vírus zika entre os meses de janeiro a agosto de 2016. O número foi divulgado nesta terça-feira (7) pela Secretaria de Estado de Saúde (SES) e é cerca de 350% maior que os quatro casos registrados entre janeiro e julho do mesmo ano.

Lideram o ranking as cidades de Luz e Nova Serrana, com três casos cada. Já os municípios de Bom Despacho, Martinho Campos e Pitangui somam dois casos cada. Araújos, Campo Belo, Divinópolis, Lagoa da Prata e Pará de Minas registraram um caso cada neste ano.

O zika é um vírus transmitido por um mosquito do gênero Flavivírus, família Flaviviridae. Até o momento, são conhecidas duas linhagens do vírus: uma africana e outra asiática. Os principais sintomas são dor de cabeça, febre baixa, dores leves nas articulações, manchas vermelhas na pele, coceira e vermelhidão nos olhos. Outros sintomas menos frequentes são inchaço no corpo, dor de garganta, tosse e vômitos.

Mortes por dengue
A região já soma 24 mortes confirmadas por dengue. Os municípios que lideram o ranking são Itaúna e Divinópolis, onde foram confirmadas seis mortes pela doença neste ano. Pará de Minas teve cinco mortes. Duas mortes foram registradas em Pompéu e outras duas em Lagoa da Prata. Apenas as cidades de Santo Antônio do Monte, Estrela do Indaiá e Cláudio tiveram um caso de óbito pela doença cada.

Já Bom Despacho tem o maior número de gestantes com contaminação confirmada pelo vírus zika. São duas pacientes com a doença. Outro caso de confirmação da doença na região neste ano ocorreu em Pitangui.

Compartilhar: