Mais de 70% dos casos de zika são confirmados sem exame laboratorial, em Manaus

853
0
Compartilhar:
image_pdfPDF

(D24am, 10/05/2016) Manaus contabiliza 121 casos confirmados de zika vírus em grávidas, e, ao todo, 306 gestantes ainda aguardam confirmação da doença.

Mais de 600 pessoas tiveram diagnóstico positivo para o zika vírus em Manaus, segundo informações da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa). Dados do Boletim Epidemiológico, divulgado pela secretaria apontam que, dos 664 casos da doença, 74% foram confirmados pelo critério médico e apenas 169 pacientes tiveram a comprovação por exames laboratoriais.

Leia mais: 
OMS confia que situação do vírus da zika no Brasil está sob controle (O Globo, 10/05/2016)
PE notifica 9.654 suspeitas de dengue zika e chikungunya em uma semana (G1, 10/05/2016)

Conforme o último boletim, 1.323 pessoas aguardam o diagnóstico para a doença. Ao todo, 3.462 notificações de suspeita do zika vírus já foram registrada, na capital amazonense.

De acordo o diretor-presidente da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS), Bernardino Albuquerque, não existe estrutura suficiente para realizar os exames em todos os pacientes notificados com suspeita de zika. Segundo ele, apenas gestantes e pessoas que apresentaram problemas neurológicos, junto com os sintomas do vírus, estão fazendo a coleta para o exame. Os demais pacientes, segundo Bernardino, são analisados segundo o critério médico.

“O médico avalia os sintomas, se são os mesmo do zika e se aquela pessoa reside em uma área em que já foi identificado o vírus. A maioria está sendo avaliada segundo o critério clínico-epidemiológico, até pela restrição do exame laboratorial. Não tem como fazer em todo mundo, a prioridade são as gestantes e pacientes que tiveram manifestação neurológica”, explicou.

Sensação de paralisia e outras complicações neurológicas podem ser associadas ao zika e, por isso, de acordo com o presidente, os pacientes entram no grupo prioritário. Os casos, no entanto, “são muito raros”, segundo ele.

Incerteza
A administradora Fabíola Muller, 37, é uma das pacientes que não conseguiu realizar os exames. Ela relata que, ao sentir dores intensas no corpo e cabeça, pensou, inicialmente, que tinha contraído dengue, mas, por causa das manchas vermelhas espalhadas pelo corpo, decidiu procurar uma Unidade Básica de Saúde (UBS). “Eu até fui ao (Hospital) Tropical, mas estava tão lotado que desisti. Minha mãe me falou que eu podia ir a uma UBS que eles faziam o exame. Quando cheguei lá, fiquei decepcionada porque o médico mal olhou pra mim e já disse que estava com zika”, disse.

A maior preocupação, segundo a administradora, está em relação aos planos de gravidez. “Eu estava tentando engravidar, agora vou ter que esperar mais. Ninguém sabe dizer com certeza se esse vírus não pode complicar a gravidez mais para a frente”, disse ela.

Manaus contabiliza 121 casos confirmados de zika vírus em grávidas, e, ao todo, 306 gestantes ainda aguardam confirmação da doença. Das 15 crianças nascidas com suspeita de microcefalia, cinco receberam o diagnóstico positivo e uma foi examinada com malformação relacionada ao zika, conforme informou a secretaria.

Acesse o site de origem: Mais de 70% dos casos de zika são confirmados sem exame laboratorial, em Manaus (D24am, 10/05/2016)

Compartilhar: