Estudo brasileiro da COPPE/UFRJ sobre o zika vírus vence concurso da Johnson & Johnson Innovation, o JLabs Latin America Quick Fire Challenge

Compartilhar:
image_pdfPDF

(Segs, 15/06/2016) Estudo do Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia, da Universidade Federal do Rio de Janeiro, ganhou seis meses na incubadora [email protected] TMC, em Houston (EUA).

Novo Quick Fire Challenge será lançado durante a BIO International Convention 2016, que acontecerá em São Francisco (EUA), entre 6 e 9 de juho.

A Janssen Brasil e a Johnson & Johnson anunciam hoje que o estudo conduzido pela equipe do Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia (COPPE), da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) – maior centro de ensino e pesquisa em engenharia da América Latina – foi o vencedor, em toda a América Latina, do Quick Fire Challenge, uma iniciativa promovida pela Janssen Brasil e pela Johnson & Johnson para fomentar a inovação científica naregião. A professora Leda Castilho, que foi selecionada por sua pesquisa inovadora sobre o zika vírus, ganhou seis meses no [email protected] TMC em Houston (EUA), onde ela e sua equipe terão acesso a um laboratório de última geração, infraestrutura para pesquisa, serviços operacionais e de negócios assim como currículo educacional de empreendedorismo e eventos de networking.

O foco da pesquisa é a produção de proteínas recombinantes da estrutura externa do zika vírus. Este tipo de proteína pode ser particularmente útil para desenvolver ferramentas para o diagnóstico, tratar ou prevenir o zika vírus. O vírus, que se espalhou rapidamente pelas Américas se tornou uma ameaça à saúde pública e está associada com o desenvolvimento de microcefalia, condição neurológica em que a cabeça dos bebês e crianças é anormalmente menor, em crianças nascidas de mães infectadas. O vírus é transmitido pelo mosquito Aedes aegypti.

A produção de proteínas recombinantes da estrutura externa do zika vírus tem potencial para ser usada no desenvolvimento de exames de diagnóstico que podem distinguir flavivírus relacionados, como dengue e febre amarela. Além disso, as proteínas recombinantes do vírus podem ser utilizadas para isolar ou desenvolver um anticorpo monoclonal anti-zika, que trate ou reduza a carga viral dos indivíduos infectados. Este recurso é particularmente interessante para mulheres grávidas, já que ajuda a reduzir o risco de transmissão para o feto, prevenindo a microcefalia, condição que está relacionada a infecção intrauterina pelo zika. A produção da proteína também pode ser utilizada no desenvolvimento de uma vacina, que pode ter um papel importante na prevenção e controle da doença no longo prazo.

A professora Leda Castilho e a sua equipe vão conduzir a pesquisa no [email protected] TMC a partir de junho de 2016.

Leda dos Reis Castilho é professora do Programa de Engenharia Química do Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia, na Universidade Federal do Rio de Janeiro (COPPE/UFRJ), onde coordena o Laboratório de Engenharia de Cultivos Celulares, e atua também no Programa de Pós-Graduação em Bioquímica do IQ/UFRJ. Realizou estágios sabáticos de pesquisa na Universidade de Bielefeld (Alemanha) e no National Institutes of Health, NIH (EUA). Possui doutorado em Engenharia Bioquímica pela Universidade de Braunschweig (Alemanha) e graduação e mestrado em Engenharia Química pela UFRJ. Suas pesquisas já lhe renderam vários prêmios e a indicação, em 2008, como membro afiliado da Academia Brasileira de Ciências.

O Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia foi fundado em 1963 pelo engenheiro Alberto Luiz Coimbra e ajudou a criar a pós-graduação no Brasil. Ao longo de sua existência, tornou-se o maior centro de ensino e pesquisa em engenharia da América Latina, tendo formado mais de 13 mil mestres e doutores em seus 13 programas de pós-graduação strictu sensu (mestrado e doutorado).

Por 13 anos o Laboratório de Engenharia de Cultivos Celulares (LECC) do Programa de Engenharia Química da COPPE/UFRJ vem desenvolvendo projetos de pesquisa, desenvolvimento e inovação voltados para o estabelecimento de tecnologias inovadoras de produção de biofármacos, anticorpos monoclonais, terapias celulares e vacinas.

Sobre o Quick Fire Challenge

O Quick Fire Challenge é uma iniciativa regional liderada pela Janssen, empresa farmacêutica da Johnson & Johnson, que seleciona projetos inovadores e empresas de saúde em fase inicial – startups – para ficarem baseados e desenvolverem seus projetos de inovação nas unidades do JLabs, centros de pesquisa independentes mantidos pela Johnson & Johnson nos Estados Unidos. Na última edição do desafio, o objetivo era selecionar uma ideia inovadora que tivesse relevância para a região latino-americana. O vencedor, que não tem vínculo nem obrigações comerciais com a farmacêutica, poderá usufruir de toda a infraestrutura administrativa, suporte de pesquisadores e acesso ao que há de mais moderno em recursos tecnológicos e equipamentos para o desenvolvimento de sua pesquisa no centro localizado em Houston, nos Estados Unidos.

J&J e sua mobilização contra o zika vírus

A Johnson & Johnson uniu esforços das suas três áreas de negócio (Consumo, Medical Devices e Janssen) e está mobilizada para colaborar com o enfrentamento do surto de doenças transmitidas pelo Aedes aegypti – com destaque para o zika vírus – que vão desde o apoio à pesquisa e programas de educação até seu portfólio de soluções múltiplas para prevenção, diagnóstico e tratamento dos sintomas e doenças.

Sobre Johnson & Johnson Innovation, JLabs

O JLabs faz parte da Johnson & Johnson Innovation LLC e oferece ferramentas e recursos para auxiliar projetos inovadores e startups do segmento de ciências da vida, que têm acesso a uma infraestrutura de alta tecnologia de ponta, assim como eventos de networking e serviços operacionais e de negócios, de forma independente. O JLabs conecta empreendedores regionais com toda a abrangência da Johnson & Johnson Innovation, incluindo oportunidades para discutir financiamento, acesso a serviços de terceiros, participação em eventos educacionais e de encontros com especialistas de P&D das divisões de dispositivos médicos, produtos de consumo e farmacêutica. Para mais informações ou para inscrever-se no JLabs, visite JLABS.jnjinnovation.com.

Sobre a Janssen

Na Janssen, trabalhamos para criar um mundo sem doenças. Transformar vidas buscando maneiras novas e melhores de prevenir, interceptar, tratar e curar doenças nos inspira. Nós reunimos as melhores mentes e buscamos as mais promissoras inovações científicas. Somos a Janssen. Colaboramos com o mundo para a saúde de todos. Para saber mais acesse: www.janssen.com. Siga a Janssen no Facebook e LinkedIn, e o J&J Carreiras no Facebook

Acesse o site de origem: Estudo brasileiro da COPPE/UFRJ sobre o zika vírus vence concurso da Johnson & Johnson Innovation, o JLabs Latin America Quick Fire Challenge (Segs, 15/06/2016)

Compartilhar: