Grávidas revelam suas angústias ao gerar novas vidas em meio à pandemia da Covid-19

Compartilhar:
image_pdfPDF

Tristeza por saber que visitas serão restritas na maternidade e medo de contaminação são queixas comuns

RIO — Gerar uma nova vida enquanto a humanidade teme a morte é acreditar que amanhã, apesar de hoje, o astro rei vai brilhar. Ainda com inspiração nos versos cantados e criados por Guilherme Arantes, guardar um bebê no ventre em meio à pandemia de Covid-19 é crer que amanhã será um lindo dia, da mais louca alegria que se possa imaginar. Símbolos de que o melhor está por vir, grávidas oscilam entre a força inabalável das mães e a fragilidade de quem tem verdadeiro pavor de que falte para si e para o seu bebê o bem mais precioso: saúde. Neste misto de sentimentos tão controversos, resta a cada gestante não descuidar de gestos de amor fundamentais no momento, que são ficar em casa, usar máscara, seguir à risca os cuidados de higienização e não deixar de fazer o pré-natal.

Acesse a matéria completa no site de origem.

Compartilhar: