ONU defende direito ao aborto para estupradas pelo Boko Haram

872
0
Compartilhar:
image_pdfPDF

(ONU BR, 01/07/2015) “Já está claro que as violações cometidas pelo Boko Haram são extensas e de longo alcance, exigindo uma resposta de amplitude proporcional”, declarou o alto comissário das Nações Unidas para os Direitos Humanos, Zeid Ra’ad Al Hussein.

“Já está claro que as violações cometidas pelo Boko Haram são extensas e de longo alcance, exigindo uma resposta de amplitude proporcional”, declarou o alto comissário das Nações Unidas para os Direitos Humanos, Zeid Ra’ad Al Hussein.

Descrevendo um padrão de ataques brutais e indiscriminados pelo Boko Haram no nordeste da Nigéria que se estende com os anos, o chefe de direitos humanos das Nações Unidas pediu a comunidade internacional nesta quarta-feira (01) para ajudar a sub-região a começar a reparar os seus danos.

O alto comissário da ONU para os Direitos Humanos, Zeid Ra’ad Al Hussein, pediu especificamente às autoridades nigerianas para facilitar as restrições ao aborto para mulheres e meninas que foram escravizadas sexualmente, estupradas e forçadas a submeter-se a “casamentos” pelos combatentes do Boko Haram.

Durante uma sessão informativa ao Conselho de Direitos Humanos da ONU sobre as violações de direitos e abusos do Boko Haram, Zeid discutiu os resultados obtidos até agora de uma equipe de 12 membros enviada para o norte dos Camarões, sul do Níger e para as regiões do nordeste da Nigéria. O time planeja visitar também o Chade e suas conclusões farão parte de um relatório que será apresentado ao Conselho em setembro.

“Entretanto, já está claro que as violações cometidas pelo Boko Haram são extensas e de longo alcance, exigindo uma resposta de amplitude proporcional”, declarou Zeid.

Acesse no site de origem: Chefe de direitos humanos da ONU pede ação concertada para combater crimes do Boko Haram (ONU BR, 01/07/2015)

Compartilhar: