Uma tragédia bem brasileira, por Carolina Sales Vieira

Compartilhar:
image_pdfPDF

Gestações planejadas esbarram em oferta limitada de métodos contraceptivos

(Folha de S. Paulo | 19/01/2022 | Por Carolina Sales Vieira)

A falta de planejamento reprodutivo é uma tragédia nacional. No mundo, 40% das gestações não são planejadas. No Brasil, o índice é maior: 55%. Ou seja, de 100 bebês que nascem em nosso país, 55 não foram planejados por suas mães.

As gestações não planejadas são mais comuns em determinados grupos: adolescentes, mulheres solteiras, mulheres mais pobres, com menor escolaridade, portadoras de doenças crônicas e usuárias de álcool ou drogas. A pesquisa Nascer no Brasil traz um dado especialmente alarmante: 65,3% dos partos de adolescentes não são planejados.

São muitos os efeitos negativos. Para o bebê, é maior a possibilidade de prematuridade, baixo peso e morte no primeiro mês de vida. Para a mãe, aumenta o risco de sofrer violência física, de iniciar tardiamente o pré-natal, de desenvolver depressão pós-parto, de realizar abortos clandestinos e, caso a gravidez ocorra na adolescência, de abandonar a escola.

Carolina Sales Vieira

Médica e professora do Departamento de Ginecologia e Obstetrícia da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (FMRP-USP) e associada da Sociedade de Planejamento Familiar dos EUA

Acesse a matéria completa no site de origem

Compartilhar: