Morre a ex-ministra e ex-reitora Nilcéa Freire, incansável parceira no enfrentamento das desigualdades de gênero e raça

Compartilhar:
image_pdfPDF

O Instituto Patrícia Galvão comunica com grande pesar o falecimento de Nilcéa Freire, ex-ministra de políticas para as mulheres. Nilcéa deixa um legado ímpar, marcado pela defesa dos direitos humanos. Primeira mulher reitora em uma universidade pública (UERJ, 2000 a 2004), Nilcéa foi pioneira na defesa e implantação de cotas para a população negra.

Como ministra da Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres do governo federal (2004 a 2010), Nilcéa esteve à frente do processo de elaboração do projeto de lei que deu origem à Lei Maria da Penha e inaugurou o serviço Ligue 180, a Central de Atendimento à Mulher. Durante sua gestão foi debatido e elaborado o primeiro Plano Nacional de Políticas para as Mulheres, com o diagnóstico e as recomendações para garantir a igualdade de direitos e oportunidades entre os gêneros.

A seguir, reproduzimos a nota em homenagem a Nilcéa Freire divulgada por Nadine Gasman, atual presidenta do Instituto Nacional das Mulheres do México (Inmujeres), que atuou como representante da ONU Mulheres no Brasil até o ano passado.

Ministra das Mulheres do México lamenta falecimento da ex-ministra Nilcéa Freire

(ONU Mulheres, 30/12/2019 – acesse no site de origem)

A presidenta do Instituto Nacional das Mulheres do México (Inmujeres), Nadine Gasman, recebeu com “grande tristeza” a notícia do falecimento de Nilcéa Freire, ex-ministra de Políticas para as Mulheres do Brasil entre 2004 e 2011. Gasman a conheceu durante o exercício de postos nas Nações Unidas como diretora da campanha do Secretário-Geral da ONU “UNA-SE pelo fim da violência contra as mulheres” e como representante da ONU Mulheres Brasil. Abaixo trecho da mensagem publicada originalmente em Espanhol em seu perfil no Facebook.

“Nilcéa foi uma grande mestra: brilhante, generosa e coerente em todos os âmbitos do seu trabalho. Com uma grande visão e muito trabalho, ela apoiou o avanço das mulheres no Brasil, na América Latina e Caribe e no mundo. Foi de médica à política, professora à militante, sempre indo para além do cotidiano e pensando em como transformar a vida das mulheres e dos homens.

Como presidenta da Conferência da Mulher, da Cepal (Comissão Econômica para América Latina e Caribe), conquistou o histórico Consenso de Brasília; como ministra desenvolveu políticas integrais e inovadoras para o avanço das mulheres, apoiou a criação da ONU Mulheres e o fortalecimento do movimento de mulheres, feminista, de mulheres, negras e jovens. Como representante da Fundação Ford, teve a visão de apoiar a resposta a partir dos direitos humanos das mulheres na epidemia do vírus zika.

Como amiga e mentora, Nilcéa foi uma fonte de inspiração para o meu trabalho como representante da ONU Mulheres no Brasil e como presidenta do Instituto Nacional das Mulheres do México.

Nilcéa será lembrada como a grande feminista lutadora que contribuiu substantivamente para a transformação da vida das mulheres.

Um abraço solidário à sua família e a incontáveis amigas e amigos, a quem fará muita falta.

#NilceaPresente

Veja também:

Compartilhar: