Bombril é acusada de racismo por campanha com empregada doméstica negra

1159
0
Compartilhar:
image_pdfPDF

(iG, 28/04/2015) Marca afirma que escolha de doméstica para anúncio no Facebook não foi aleatória, mas internautas rechaçam peça

bombril_anuncioUma peça publicitária da Bombril no Facebook gerou polêmica na última segunda-feira (27). Em homenagem ao Dia do Trabalhador Doméstico, a empresa postou a imagem de uma empregada doméstica negra em sua página na rede social, anunciando o projeto social Casa Bombril, centro de formação gratuita para domésticas.

“Vamos homenagear quem mais brilha nos lares de todo o país! Aproveite a data para conhecer a Casa Bombril, um projeto social que ajuda a desenvolver ainda mais a vida profissional das domésticas! Afinal, o brilho delas é uma das coisas que fazem de nossa casa um verdadeiro lar!”, disse a marca.

Em poucos minutos, apareceram os primeiros comentários dos internautas acusando a marca de racismo.

“Até parece uma propaganda típica de décadas atrás. Para a Bombril parece que o tempo não passou, as pessoas têm escrav.., digo, empregadas negras, as mulheres servem ao marido, etc. Parece que essa é a sociedade que Bombril acredita”, disse um usuário.

“Sempre negras e nordestinas… Em todas as propagandas!!!! Triste…”, afirmou outro.

Em nota, a empresa afirmou que a escolha de Tania Aparecida, que está na homenagem feita pela marca no Facebook, não foi aleatória: ela é consultora da Casa Bombril.

“Tania é a competente profissional que ganhou a primeira edição do concurso Melhor Doméstica do Brasil, realizado em 2011 no Programa Raul Gil e, desde então, faz parte do quadro de colaboradores da Casa Bombril. A Bombril tem uma história de incentivo e valorização da mulher brasileira, independentemente de raça, classe social ou qualquer outra classificação. A empresa presta uma homenagem, com a figura da Tania, a toda a classe de empregada doméstica do Brasil, que a Bombril sempre valorizou e reconheceu”, afirmou a marca.

Acesse no site de origem: Bombril é acusada de racismo por campanha com empregada doméstica negra (iG, 28/04/2015) 

Compartilhar: