Mil dias depois, não se sabe quem mandou matar Marielle e por quê

Compartilhar:
image_pdfPDF

Apuração trava em pedido do Ministério Público ao Google de dados que ajudem a ver mandantes

(Folha de S.Paulo | 07/12/2020 | Por Ana Luiza Albuquerque e Júlia Barbon)

Há mil dias a vereadora Marielle Franco (PSOL) foi assassinada em uma emboscada no centro do Rio de Janeiro com o motorista Anderson Gomes. Há mil dias pessoas perguntam quem mandou matá-la.

A resposta, contudo, pode ainda demorar a chegar: uma das frentes de investigação está travada diante de batalha judicial entre o Google e o Ministério Público do Rio.

A promotoria pediu que a empresa compartilhasse os dados de geolocalização de todos os usuários que, em um intervalo restrito, passaram pelo local onde o carro utilizado pelos supostos assassinos, Ronnie Lessa e Élcio de Queiroz, foi visto pela última vez, em dezembro de 2018.

Acesse a matéria completa no site de origem.

 

Compartilhar: