Empregadas domésticas estão entre as que não conseguem se isolar e sofrem maiores impactos do fim do auxílio

85
0
Compartilhar:
image_pdfPDF

(UOL | 11/02/2021 | Por Maria Martha Bruno, da Gênero e Número)

A categoria das trabalhadoras domésticas é particularmente vulnerável na crise do coronavírus. As profissionais têm sido expostas sistematicamente a riscos de contaminação sem poderem se isolar. Com o fim do auxílio emergencial, a situação piora e deixa desamparada a categoria, estimada em mais de 6 milhões de trabalhadores.

Denúncias enviadas ao Ministério Público do Trabalho no Brasil ilustram abusos e violações cometidas contra as trabalhadoras. A plataforma de jornalismo de dados Gênero e Número teve acesso a essas denúncias, por meio da Lei de Acesso à Informação (LAI), para o projeto “Cenários e possibilidades da pandemia desigual em gênero e raça no Brasil”, em parceria com o Instituto Ibirapitanga.

Acesse a matéria completa no site de origem.

Compartilhar: