Estatísticas de Gênero 1 – Escolaridade das mulheres aumenta em relação à dos homens

2274
0
Compartilhar:
image_pdfPDF

(SPM, 04/11/2014) É o que revelou a pesquisa do IBGE, Estatísticas de Gênero – Uma análise dos resultados do Censo Demográfico 2010, feita em parceria com a SPM-PR e o Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA). Trata-se de estudo baseado no Censo Demográfico, por meio da comparação entre os de 2010 e 2000.

A escolaridade é tida como fator que eleva a produtividade de uma economia como um todo, além de gerar outros efeitos virtuosos, como a melhora de salário. Daí a importância, para a nação como um todo, e para as mulheres em particular, quando se constatam avanços neste item.

As Estatísticas evidenciam que, no ensino médio, houve aumento da frequência escolar feminina de 9,8% em relação à masculina no período considerado. A taxa feminina foi de 52,2%, para uma taxa masculina de 42,4%. Outro fator positivo foi o aumento de jovens que se mantinham cursando o nível educacional apropriado à sua idade (15 a 17 anos). O percentual subiu de 34,4% em 2000 para 47,3% em 2010.

Constatou-se também um contingente maior de mulheres entre os universitários de 18 a 24 anos no nível superior, em 2010. Elas representavam 57,1% do total de estudantes na faixa etária. Consequentemente, o nível educacional das mulheres é maior do que o dos homens na faixa etária dos 25 anos ou mais.

Outro fator importante para a elevação do nível de escolaridade das mulheres foi a redução na proporção de adolescentes (15 a 19 anos) com filhos. Este caiu na década, de 14,8% para 11,8%. A gravidez precoce é um dos motivos para que adolescentes interrompam os estudos, comprometendo a formação profissional.

Acesso no portal – O Sistema Nacional de Informações de Gênero (SNIG) criado pelo IBGE é uma ferramenta disponível em página (http://www.ibge.gov.br/apps/snig/v1/) que visa facilitar o acesso às informações para qualquer pessoa que se interesse, incluindo gestores municipais, estaduais e técnicos que atuam na área. O sistema, marcado pela facilidade de operação, apresenta indicadores sobre aspectos populacionais (incluindo famílias e migração), pessoas com deficiência, habitação, educação, mercado de trabalho e rendimento. Além da desagregação por sexo, há também por cor ou raça, situação do domicílio e grupos de idade, entre outras. Além do acesso pela página do Instituto, é possível instalar um aplicativo no celular.

Acesse no site de origem: Estatísticas de Gênero 1 – Escolaridade das mulheres aumenta em relação à dos homens (SPM, 04/11/2014) 

Compartilhar: