FAO: Empoderamento feminino na agricultura é vital para desenvolvimento da América Latina e Caribe

1769
0
Compartilhar:
image_pdfPDF

(ONU Brasil, 17/11/2014) Mulheres rurais contribuem para a segurança alimentar e nutricional em todos os países da região, mas não são plenamente reconhecidas em políticas e programas específicos para a agricultura familiar. Tema foi debatido em encontro em Brasília.

O empoderamento das mulheres na agricultura familiar da América Latina e do Caribe é essencial para que a região possa promover o desenvolvimento territorial e atingir sua meta de erradicação da fome e da pobreza rural.

A avaliação é da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), ao final da Conferência de Mulheres Rurais, realizada em Brasília na semana passada, no marco do Ano Internacional da Agricultura Familiar.

Os participantes do evento fizeram um chamamento para que os Estados promovam estratégias eficazes para empoderar e promover a autonomia das mulheres rurais e o cumprimento de seus direitos através de legislação, bem como de medidas administrativas e de orçamento para assegurar seu pleno exercício.

Segundo a FAO, as mulheres rurais realizam grandes contribuições para a segurança alimentar e nutricional em todos os países da região, ainda que não tenham sido reconhecidas totalmente em termos de políticas e de programas específicos para as mulheres rurais na agricultura familiar.

A chefe de Gabinete da Representação da FAO para a América Latina e o Caribe, Soledad Parada, reiterou que a agricultura familiar é o segmento mais importante para a produção de alimentos na região. “Há 58 milhões de mulheres vivendo nas zonas rurais da nossa região e muitas delas vivem em situação de desigualdade política e social”, afirmou.

Já o ministro do Desenvolvimento Agrário do Brasil, Miguel Rossetto, destacou que a conquista da igualdade social está diretamente relacionada à luta feminina pelo acesso aos seus direitos, que vem crescendo significativamente em áreas rurais brasileiras. Segundo ele, o Brasil vem implementando políticas específicas a favor do acesso feminino à terra e da obrigatoriedade de atendimento de 50% dos serviços de assistência técnica para agricultoras familiares.

No evento, foi emitida a Declaração de Brasília, que reconhece os importantes avanços nas políticas públicas e na implementação de novas instâncias institucionais nos Estados e na região para promover a igualdade de gênero na América Latina e no Caribe. O documento foi assinado pelos 25 países presentes na Conferência.

Acesse no site de origem: FAO: Empoderamento feminino na agricultura é vital para desenvolvimento da América Latina e Caribe (ONU Brasil, 17/11/2014)

Compartilhar: