A Ventania Feminista inspira as ruas e comanda protestos, por Bob Fernandes

Compartilhar:
image_pdfPDF

(Jornal da Gazeta, 06/06/2016) Nomeada na sexta-feira, Fátima Pelaes pode vir a ser a “Secretaria Porcina”, a que foi sem nunca ter sido. Fátima é acusada de “integrar organização criminosa”.

Essa Secretaria, a Nacional das Mulheres, foi criada para tentar diminuir o desastroso impacto do ministério só de homens.

Leia mais: 
Servidores protestam contra nomeação da ex-deputada Fátima Pelaes para SPM (Agência Brasil, 06/06/2016)
Mulheres ocupam Ministério das Cidades e protestam contra nova secretária de Políticas para as Mulheres (Brasileiros, 06/06/2016)
Secretária das Mulheres pode ser demitida antes mesmo da posse (Meio Norte, 06/06/2016)
Mulher errada no lugar errado, por Bernardo Mello Franco (05/06/2016)
No governo Temer, Secretaria das Mulheres ganha viés policial (Carta Capital, 04/06/2016)
Política do governo Temer é cadeia para as mulheres, alerta UBM (Vermelho, 03/06/2016)

Há uma ventania nas ruas do Brasil que pode se transformar num furacão. A ventania feminista.

Multiplicam-se protestos de Coletivos Feministas. O próximo marcado para quarta-feira, 8, em São Paulo. Outra vez junho, como em 2013.

Em 2013, demandas por serviços se articulavam país afora. Até tudo explodir a partir de São Paulo, do “Não” aos 20 centavos de aumento para passagens de ônibus.

Clique na imagem e assista ao vídeo da matéria

Untitled-4

Neste junho de 2016, ventania gerada pela milenar opressão, humilhação das mulheres.

A luta pelo empoderamento feminino está se tornando um ímã. Atrai demais causas e insatisfações, inspira protestos que crescem a cada dia.

Mesmo se à revelia, a queda de Dilma impulsiona essa história. Humilhante para a condição de mulher o tom de deboche no “Tchau querida”. Aquela grotesca noitada inaugural do impeachment.

Acompanhada como novela no país onde mulheres, 52% do eleitorado, ocupam apenas 10% das vagas na Câmara. Onde proliferam babás, e tratadas como escravas.

Deboche agravado pelo ministério misógino. De homens contrários a direitos da mulher duramente conquistados.

De governo que têm aliados ou simpatizantes como Malafaia, Alexandre Frota, Marco Feliciano, Danilo Gentili, Bolsonaro…

A ventania se espalhou com bárbaros estupros coletivos no Rio e no Piaui. Num país onde a cada 11 minutos uma mulher é estuprada.

Privar o Palácio da Alvorada de comida, restringir voos de Dilma, proibir que a Tv pública use a expressão “presidenta”…Cada gesto é mais vento na ventania.

Se nas delações da Odebrecht e OAS Dilma cair de vez, junto com tantos outros, se terá outra questão.

O que há meses está nas “Ocupações”, e agora nas ruas deste junho, já é pelo pós tudo isso.

“Junho” deriva de homenagem à deusa Juno. Na mitologia romana, Juno era protetora da Nação, e das mulheres.

Acesse no site de origem: A Ventania Feminista inspira as ruas e comanda protestos, por Bob Fernandes (Jornal da Gazeta, 06/06/2016)

Compartilhar: