Copa, sim. Violência contra a mulher, não: publicitária cria novo grito de guerra

3527
0
Compartilhar:
image_pdfPDF

(Portal SRZD, 03/07/2014) Mulher, publicitária e produtora cultural, Lucia Sampaio de França Sons foi vítima de violência em duas ocasiões e quase perdeu a vida. Hoje, ela eu a volta por cima, não desanimou e criou um projeto que luta pelos direitos das mulheres e pelo combate da violência contra elas.

Em 2004, Lucia fundou a instituição “As 40 mulheres pra fazer cultura”, conhecida também como “Quarenta Mulheres de Quarenta”, com o objetivo de valorizar as mulheres na sociedade. E, aproveitando o ritmo da Copa do Mundo e os holofotes voltados para o Brasil, ela criou o projeto “Meninas do calendário dando bola na Copa 2014”. A partir daí, procurou clubes de futebol para apoiarem a iniciativa cedendo o espaço para que mulheres vítimas de violência doméstica, como ela, fizessem fotos para serem divulgadas na campanha através de um calendário com a tabela do Mundial.

Sem sucesso e sem apoio dos clubes, com exceção do América e São Cristóvão, ela reuniu as mulheres e usou como cenário o Maracanã. Ela revelou que um dos clubes cobrou o valor de R$ 180 mil para que usassem o espaço para fotografias. “Se eu tivesse metade desse valor teria posto em prática o projeto antes”, disse.

“Fiz algumas do lado de fora do Maracanã, e todas são fotos ousadas, sensuais, mas sem nenhuma pornografia ou erotismo exacerbado. São mulheres acima de 40 anos. Até minha mãe posou. Ela tem mais de 70. Ela também foi, como outras, vítima de violência”, explicou. “As mulheres que sobrevivem à violência ficam com cicatrizes profundas na alma. Nas delegacias, são atendidas por homens, na maioria das vezes, que não entendem nossa dor. Por mais que tentem, eles não têm nossos hormônios, nem a nossa fragilidade”, completou.

A publicitária ressaltou que decidiu unir a fragilidade feminina ao universo do futebol. que ainda é um cenário predominantemente masculino. “Por mais que as meninas joguem bola, sou idealizadora do projeto que usa a Copa 2014 para combater a violência contra a mulher”.

Lucia explicou que tentou mandar um recado com a iniciativa: “O que vem acontecendo contra as mulheres é desumano. Não é justo que a sociedade permita esse massacre sem fazer nada”.

Acreditando que o Brasil pode conquistar o hexa nesta Copa e vendo a necessidade de um novo grito de guerra, reivindicação do próprio técnico Luiz Felipe Scolari, Lucia, que é compositora da Mocidade Independente de Padre Miguel, desenvolveu um hino. A música tem um refrão de muito apelo e reflete a alma apaixonada e a fé dos brasileiros. O objetivo dela é que o hino seja divulgado e chegue ao conhecimento dos jogadores da seleção, para que também apoiem a causa.

Leia a letra da música e veja o vídeo das “Quarenta Mulheres de Quarenta”:

BRASIL BRASIL BRASIL Ô! QUE A TODO MUNDO ENCANTA! RASIL BRASIL BRASIL Ô! AMADA TERRA SANTA! BRASIL DA MULHER BRASILEIRA! BRASIL A PÁTRIA DE CHUTEIRA! UM LINDO PAIS TROPICAL, DO SAMBA E DO CARNAVAL! É OU NÃO É? O BRASILEIRO NASCE COM A BOLA NO PÉ! É OU NÃO É? NO MUNDO INTEIRO, QUEM NÃO CONHECE O PELÉ?! EXPLODE CORAÇÃO! LEVANTA ESSA NAÇÃO! A BOLA É UMA PAIXÃO! O FUTEBOL MINHA RELIGIÃO…EXPLODE CORAÇÃO! LEVANTA ESSA NAÇÃO! A BOLA É UMA PAIXÃO! O FUTEBOL MINHA RELIGIÃO! O FUTEBOL MINHA RELIGIÃO!…ESSA MENINA, ESSA MENINA, ESSA MENINA QUE PASSA COM GRAÇA E REBOLA É UM SHOW HEXA, MENINA, HEXA, MENINA, HEXA, MENINA É BOLA QUE ROLA E ACABA NO GOL ! HEXA CAMPEÃO! HEXA CAMPEÃO…

Acesse o PDF: Copa, sim. Violência contra a mulher, não: publicitária cria novo grito de guerra

 

 

Compartilhar: