‘Há resistência de admitir a violência específica contra a mulher’, diz pesquisadora

889
0
Compartilhar:
image_pdfPDF

(O Estado de S. Paulo, 26/10/2015) As redes sociais fervilharam assim que o tema da redação do Enem foi revelado na tarde de domingo, 25. Os estudantes tiveram que escrever um texto sobre “a persistência da violência contra a mulher no Brasil”, o que causou uma enxurrada de elogios à pertinência do texto, mas também inspirou críticas ao que seria um “doutrinação”. Para a antropóloga Michele Escoura, assessora da área de Educação para Jovens e Adultos (EJA) da Ação Educativa, a escolha do tema não deixa de ser um ato de militância. “Boa parte das reações contrárias, inclusive dos adolescente, é de desmerecimento da questão”, diz ela “Ainda existe muita resistência de admitir uma violência específica contra a mulher, uma violência específica de gênero”.

Acesse a íntegra no Portal Compromisso e Atitude: ‘Há resistência de admitir a violência específica contra a mulher’, diz pesquisadora (O Estado de S. Paulo, 26/10/2015)

Compartilhar: