Homem que tentou incendiar juíza é condenado a 20 anos de prisão

Compartilhar:
image_pdfPDF

Tatiane Moreira Lima era a juíza responsável pelo julgamento de um processo em que o condenado era acusado de agredir a ex-mulher

(TJSP – 05/07/2017 – acesse no site de origem)

O júri popular condenou na noite desta terça-feira, 4, Alfredo José dos Santos pela acusação de tentativa de assassinato qualificada e cárcere privado da juíza Tatiane Moreira Lima. Ele deverá cumprir 20 anos de prisão pelos crimes. Em 30 de março de 2016, Santos invadiu o Fórum Regional do Butantã, na zona oeste de São Paulo, e ameaçou incendiar a magistrada, tendo também atirado um coquetel molotov em um segurança para chegar à sala de audiências – o homem foi absolvido de tentar matar esse servidor.

O julgamento, que começou na manhã da segunda-feira, 3, terminou na noite desta terça após um dia marcado pelos embates entre a acusação e a defesa. Prevaleceu a versão da promotoria de que Santos tentou matar a juíza. Os advogados do réu sustentavam que em nenhum momento ele tentou assassinar a magistrada, querendo apenas chamar atenção da mídia para um processo em que se dizia inocente.

Tatiane era a juíza responsável pelo julgamento de um processo em que Santos era acusado de agredir a ex-mulher com quem disputava a guarda de um filho de 5 anos. No dia 30 de março de 2016, ela permaneceu refém por cerca de 20 minutos até policiais militares conseguirem render o homem de 37 anos e prendê-lo.

Compartilhar: