Lesbofobia não passará! Uber demite motorista que ameaçou casal

Compartilhar:
image_pdfPDF

(HuffPost Brasil, 07/06/2016) Lucy Thomas e sua namorada Chelsea Lang precisavam de carona para voltar para casa após um jantar entre amigos em um bairro de Melbourne, cidade da Austrália. Elas não pensaram duas vezes e solicitaram um Uber.

No entanto, durante o serviço, o motorista se incomodou com a opinião das garotas enquanto eles discutiam sobre futebol. Como ele reagiu? Insultando o casal de “faggots” (“sapatão” em tradução literal) e ameaçando arrastá-las para fora do carro.

Thomas comentou o caso em entrevista ao BuzzFeed:

“É como se uma nuvem estivesse sobre ele. Ele já tinha sido agressivo, mas estava alegre. Mas depois ele partiu para atacar a minha namorada. Ele estava chamando a gente de ‘sapatão’ repetidamente, e foi bastante agressivo em seu tom.”

Segundo a garota, foi só nesse momento que o motorista percebeu que elas estavam juntas, depois do clima tenso que foi criado.

“Ele me disse: ‘você só pode ser um sapatão caso contrário você não se importaria’. Talvez ele não tivesse percebido antes, pois não seguimos o estereótipo esperado para duas mulheres em um relacionamento.”

Quando chegaram ao destino final, Thomas e Lang disseram que o carro parou, mas ele não destrancou as portas. Nesse momento elas se sentiram bastante ameaçadas e resolveram usar o celular para gravar a conversa. Depois, elas disponibilizaram o áudio na internet.

Na gravação é possível ouvir o motorista dizer frases como “eu posso fazer o que eu quiser, estou preparado para sofrer as consequências” e “o que você vai fazer? Me avaliar com uma estrela? E quando eu escrever o meu relatório sobre duas pessoas que não gostam de ser chamados de bichas, então, o que é que eles vão dizer?”.

Depois, o motorista ameaça arrastar as duas mulheres para fora do carro.

Assustadas, elas recorreram à empresa Uber imediatamente. Thomas elogiou a rapidez da resposta da empresa, que em comunicado ao BuzzFeed afirmou ter afastado o motorista.

No entanto, as garotas continuam com medo de sair de casa, temendo que o motorista esteja na vizinhança.

“A política da empresa é realmente confusa e problemática. É centrada na privacidade – tanto do motorista, quanto a minha -, mas é desequilibrado, porque o motorista já tem o meu endereço.”

A história do casal está gerando discussões nas redes sociais. Em seus perfis no Twitter, as garotas agradecem ao apoio de outros usuários.

Outro motorista da Uber enviou uma mensagem para Thomas pedindo desculpa por seu colega, mas reforçando quem nem todos os motoristas do aplicativo são preconceituosos e agiriam assim.

Ana Beatriz Rosa

Acesse no site de origem: Lesbofobia não passará! Uber demite motorista que ameaçou casal (HuffPost Brasil, 07/06/2016)

Compartilhar: