29/04/2011 – Estupros de mulheres no Rio aumentam 25%

440
0
Compartilhar:
image_pdfPDF

(O Estado de S. Paulo/O Globo) Em 2010, foram registrados, por mês, 313 casos de estupro contra mulheres no estado do Rio de Janeiro. Os registros de estupro cresceram 25% entre 2009 e 2010: passaram de 4.120 para 4.589. Os dados fazem parte do Dossiê Mulher, elaborado por pesquisadores do Instituto de Segurança Pública (ISP).

A sexta edição do relatório compara estatísticas de 2009 e 2010 relativas à violência contra pessoas do sexo feminino. Embora 81,2% das vítimas desse tipo de crime sejam mulheres, 18,8% são crianças e adolescentes do sexo masculino. Do universo de mulheres estupradas, mais da metade é formada por crianças e adolescentes com menos de 14 anos. O dossiê traz ainda dados sobre crimes de lesão corporal dolosa, homicídio doloso (quando há intenção de matar) e ameaça.

23,2% das vítimas com até 9 anos
De acordo com os dados, 77,3% das vítimas eram solteiras, 23,2% tinham até 9 anos, e 30,3% entre 10 e 14 anos de idade.

Ainda de acordo com o dossiê, o número de ameaças contra a mulher cresceu 6,2%, com uma média de 137 vítimas por dia, sendo, em mais da metade dos casos, o companheiro ou ex-companheiro o provável autor do delito.

Entre os casos de homicídio doloso cometidos contra mulheres, houve redução de 19,4% em 2010. O número de vítimas do sexo feminino é maior nos casos de estupro (81,2%), ameaça (65,4%) e lesão corporal dolosa (62,9%).

globo29042011_graficodossiemulherisp500

Subnotificação ainda é grande
Uma das responsáveis pela elaboração do dossiê, a capitã PM e analista criminal do ISP, Claudia Moraes, admite que a subnotificação ainda é grande nos casos relacionados à violência contra a mulher. Claudia acredita que a aprovação de leis como a Maria da Penha e a tipificação do crime de estupro para casos que antes de 2009 eram tratados como atentado violento ao pudor devem se refletir na diminuição dos casos e, principalmente, no aumento da punição aos agressores.


Em todo o país, violência contra mulher não registra queda há mais de 10 anos

Dados do Mapa da Violência mostram que a violência contra mulher continua sem registrar queda. Considerando estatísticas dos 27 estados, o número de assassinatos de mulheres está estacionado no mesmo patamar há mais de uma década: em 2008, houve 4,17 assassinatos para cada cem mil mulheres. Em 1998, foram 4,27 homicídios para cada grupo de cem mil.

Em 2008, as mortes violentas de mulheres somaram 4.023, sendo que 40% dos homicídios ocorre dentro de casa. Dado que reforça a violência doméstica como a principal causa dos incidentes fatais, de acordo com o coordenador do Mapa da Violência, Julio Jacobo Waiselfisz.

“O Brasil ainda tem uma cultura de violência contra a mulher. Os dados indicam que grande parte dos crimes são passionais e ocorrem dentro de casa. A impressão que os dados passam é que a violência doméstica é a principal causa dos assassinatos de mulheres”, afirmou o coordenador do estudo.

Acesse essas matérias em pdf:
Nº de estupros de mulheres no Rio aumenta 25% (O Estado de S. Paulo – 30/04/2011)
Pesquisa do ISP revela que crianças e adolescentes representam 53,5% das vítimas de estupro contra a mulher em 2010 (O Globo – 29/04/2011)
Os números da pesquisa (O Globo – 29/04/2011)
Violência contra mulher não registra queda há mais de uma década, revela estudo (O Globo – 29/04/2011)

Compartilhar: