Audiência com Luiza Brunet e o ex termina sem decisão por agressão

850
0
Compartilhar:
image_pdfPDF

Lírio Parisotto é acusado de duas lesões corporais contra a atriz: em 2015 e 2016. Duas testemunhas faltaram, e nova audiência será realizada em 13 de fevereiro.

(G1, 29/11/2016 – acesse no site de origem)

A Justiça de São Paulo começou nesta terça-feira (29) a primeira fase do julgamento do empresário Lírio Parisotto, de 62 anos, pela acusação de agredir sua ex-mulher, a atriz, modelo e empresária Luiza Brunet, de 54 anos. A audiência, no entanto, foi encerrada sem que houvesse decisão sobre as denúncias contra Parisotto. As acusações são de que o empresário teria agredido Luiza em maio deste ano, nos Estados Unidos, e em dezembro de 2015, no Brasil.

Leia mais: Julgamento de ex de Luiza Brunet é prorrogado para 2017 (O Globo, 29/11/2016)

Luiza Brunet chegou ao local da audiência, o Fórum Criminal da Barra Funda, na Zona Oeste da capital paulista, pouco depois das 13h desta terça-feira, sem falar com a imprensa. Ela deixou o lugar por volta das 15h, também sem conversar com jornalistas. Parisotto entrou por outra porta e não foi visto por jornalistas.

A audiência acabou pouco antes das 16h. Duas testemunhas de Parisotto faltaram, o que impediu que ele falasse, já que o réu deve depor por último. Com isso, uma nova audiência será realizada na tarde do dia 13 de fevereiro de 2017.

O promotor de Justiça de São Paulo, Carlos Bruno Gaya da Costa, disse estar confiante de que se provará a agressão. Segundo ele, Luiza apresentou laudo que comprova que as costelas dela foram quebradas. “Ela apresentou tomografias, foi tudo usado pra produzir o laudo do exame de corpo de delilto”, disse. Ele também ressaltou que não há pedido de indenização: “Na ação penal, aqui, não foi pedido nenhum tipo de indenização. O Ministério Público pede apenas a punição dele [de Parisotto]”.

Carlos também contou que Luiza e Lírio não ficaram frente a frente em nenhum momento atendendo um pedido da atriz. Quando ela depôs ele não estava presente na sala. Segundo o promotor, ela se emocionou ao contar o ocorrido: “Ela sempre se emociona ao falar do que aconteceu”.

video-promotor-luiza

Promotor de Justiça de São Paulo comenta ao final de audiência de atriz com ex na Justiça (Clique na imagem para ver o vídeo)

Sobre as alegações de instabilidade emocional de Luiza, Carlos declarou: “É uma coisa bastante comum aqui na Vara de Violência Doméstica [do MP], é uma história que se repete. As alegações se repetem, sempre a mulher é tachada de louca. A gente verifica que os agressores, em regra, se valem da fragilidade emocional da vítima para perpetrar as agressões e continuar o ciclo da violência”

O advogado de Parisotto, Celso Vilardi, criticou o que ele afirmou ser uma tática do Ministério Público, que apresentou a denúncia, de apontar que a defesa do réu “desmerece” a vítima. Ele também apontou haver contradições no discurso de Luiza.

“Nós já tinhamos feito uma juntada de WhastApp, texto de e-mails. Nós já tínhamos uma prova absolutamente consistente no sentido de que ela confessa que bate nele. Ela fala isso nos e-mails, os amigos falam isso nos e-mails. E, efetivamente, nós apontamos diversas contradições. As fotos que ela publicou não condizem com as daquela semana em que ela trabalhou numa novela”, disse Vilardi.

video-advogado-lirio

Advogado de Lírio Parisotto fala sobre emails de Luiza Brunet (Clique na imagem para assistir ao vídeo da matéria)

Mensagemns de Yasmin e Parisotto

A defesa de Lírio Parisotto também anexou ao processo uma troca de mensagens antigas, de período anterior às agressões, entre o empresário e a filha de Luiza Brunet, Yasmin. Nas mensagens, Yasmin teria pedido que os dois fizessem as pazes e falado que a mãe sofre com problemas psicológicos.

O promotor criticou o uso das conversas no processo. “Bastante covarde da parte dele usar este tipo de conversa que ele tinha no particular com ela para tentar fazer prova, sendo que ele não faz provas sequer dos fatos que ele está sendo acusado”, disse Carlos Bruno Gaya da Costa.

A audiência

A juíza Elaine Cristina Monteiro Cavalcante, da Vara do Foro Central da Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher marcou a audiência de instrução, debates e julgamento do caso para as 13h desta terça. Já estava previsto inicialmente que a conclusão do julgamento ficasse para outro dia.

Parisotto chegou a pedir habeas corpus ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) para que a audiência desta terça fosse cancelada, mas o pedido foi negado. A audiência foi marcada para que, além de ouvir o depoimento de Luiza e interrogar Parisotto, a juíza ouvisse as testemunhas de acusação (uma amiga da atriz) e de defesa (cerca de cinco pessoas ligadas ao empresário).

Parisotto é acusado pelo Ministério Público Estadual (MPE) de ter cometido dois crimes contra Luiza: de lesão corporal grave e leve. O empresário pode ser condenado e receber uma pena de 1 ano e meio até oito anos de prisão, já que ele está sendo responsabilizado nos termos da Lei Maria da Penha, que endurece a pena.

video-caso-luiza

‘Tive medo de denunciar’, diz Luiza Brunet após agressão (Clique na imagem e assista ao vídeo)

Acusação

De acordo com a acusação, o primeiro crime, de “lesão corporal grave”, ocorreu no dia 15 de dezembro do ano passado, no apartamento do empresário em São Paulo, quando o então casal discutiu e ele quebrou um dos dedos da mão da atriz – de acordo com laudo indireto feito pelo Instituto Médico Legal (IML) a partir da radiografia que a vítima tirou à época.

O segundo crime, de “lesão corporal leve”, foi em 21 de maio de 2016, em outro apartamento do então marido, em Nova Iorque, nos Estados Unidos, segundo Luiza. No dia 29 de junho, ela procurou a Promotoria em São Paulo, cidade onde Parisotto mora, e contou que ele deu um soco no olho dela, a chutou e quebrou quatro de suas costelas – conforme constatou posteriormente laudo pericial.

Em depoimento ao Ministério Público Estadual, no dia 14 de julho deste ano, Parisotto alegou que agiu em legítima defesa para se defender de Luiza. Ele não falou com a imprensa.

“O que aconteceu em Nova York é o que aconteceu várias vezes, segundo ele [Parisotto], mais de dez vezes no relacionamento. Por algum motivo banal ela [Luiza] perde a calma, se descontrola e o agride”, disse naquela ocasião ao G1 Celso Vilardi, advogado do empresário.

Ex-casal

Luiza e Parisotto tiveram uma união estável por cinco anos, uma relação de términos e voltas. Dessa vez, os dois estão definitivamente separados.

Luiza havia anexado ao processo mais de 20 fotos das lesões que alegou ter sofrido do então marido. Numa delas, que foi obtida e divulgada pelo Fantástico, ela aparece com o olho direito inchado.

Em 25 de maio de 2016, a atriz havia divulgado uma foto em sua página no Facebook, quatro dias após o incidente, com parte do rosto coberto pelos cabelos e uma frase: “A maquiagem forte esconde o hematoma da alma”. Luiza é embaixadora do Instituto Avon, que faz campanha contra a violência doméstica.

Por conta da queixa de violência doméstica que a atriz prestou ao MPE contra o ex-marido, a Justiça decretou medidas de proteção para Luiza. O empresário está proibido de se aproximar e manter contato com ela.

O gaúcho Lírio Parisotto aparece como um dos homens mais ricos do mundo. O empresário atua em vários setores, como o de petroquímica e de mídia, e recentemente, na venda do Grupo RBS de Santa Catarina, afiliada da TV Globo, para um grupo de investidores, ele ficou com 25% do negócio. Ele é o segundo suplente do senador Eduardo Braga pelo PMDB do Amazonas.

Tatiana Regadas

Compartilhar: