Projeto de hip-hop aborda violência contra mulher indígena

Compartilhar:
image_pdfPDF

Com a proposta de estimular discussão sobre temáticas socioculturais no Amazonas e região, o projeto Pelabera lança sua segunda produção audiovisual. ‘Filha do Rio Negro’ retrata caso de violência contra mulheres indígenas.

(Amazonas Atual, 01/04/2019 – acesse no site de origem)

Pontuar a dificuldade de acesso a dados precisos, fomentando o debate sobre a violência específica contra mulher indígena também é objetivo da produção.

O rapper Jander Manauara explica que a relação entre mulheres indígenas e colonizadores estimulou, por muito tempo, casos de violência. “Esse estereótipo de disponibilidade sexual das mulheres indígenas foi implantado no período colonial e se perpetuou na historiografia, sendo tido como ‘motivação’ dos abusos sofridos por estas mulheres’, explica Jander.

Nesta produção, a equipe formada por Jander Manauara, Denis L.d.O., DJ Otto Bráu, Sereia Dulov e Matheus Crazy contou com apoio de dados do Mapa da violência contra mulheres no Amazonas, elaborado pelo Prof. James Dean Oliveira dos Santos, sob a coordenação da Prof.ª Doutoranda em Antropologia Social Flávia Melo, do  programa de extensão OVGAM (Observatório da Violência de gênero no Amazonas) da UFAM (Universidade Federal do Amazonas).

Protagonizado por Jéssica Maraguá Otero, o clipe conta ainda com o trabalho Gabrielly Maraguá Otero (figurino), duas indígenas da etnia Maraguá, do Parque das Tribos. Lorena Souza (maquiagem) e Mel Angeolis (produção) também assinam o projeto.

Assista ao clipe:

Pelabera

Idealizado há um ano, o Pelabera produz músicas, clipes e painéis de grafite que refletem questões relevantes e atuais, de temática sociocultural no Amazonas e no Norte do país. Um novo clipe será lançado a cada mês.

Segundo Jander Manauara, o projeto também vai trazer uma proposta de implementação dos temas abordados em escolas de Manaus. “Após o lançamento de seis ou sete músicas e clipes vamos trabalhar para apresentar o projeto às escolas. Não só a proposta da banda, mas também estimular o debate do tema em uma abordagem educacional’, explica o rapper e produtor cultural.

O primeiro clipe do projeto, ‘Olha a água’ aborda a questão da migração de refugiados venezuelanos e haitianos em Manaus.

Patrícia Borges

Compartilhar: