Conselho discute perspectivas das políticas de igualdade racial

612
0
Compartilhar:
image_pdfPDF

(Seppir, 27/04/2016) 55ª reunião ordinária do Conselho Nacional de Promoção da Igualdade Racial (CNPIR) é realizada nos dias 27 e 28 de abril, em Brasília – DF.

Conselheiros e conselheiras nacionais de Promoção da Igualdade Racial reúnem-se nos dias 27 e 28 de abril para analisar e debater as perspectivas futuras das políticas de igualdade racial no Brasil. A atividade compõe a 55ª Reunião Ordinária do Conselho Nacional da Igualdade Racial (CNPIR), realizada em Brasília – DF, na Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial do Ministério das Mulheres, da Igualdade Racial, da Juventude e dos Direitos Humanos, no auditório do Bloco A da Esplanada dos Ministérios.

Na ocasião, a ministra das Mulheres, da Igualdade Racial, da Juventude e dos Direitos Humanos, Nilma Lino Gomes, saudou os conselheiros e destacou a importância da sociedade civil organizada na manutenção das conquistas alcançadas e continuidade das políticas. “Estamos trabalhando pela democracia e tenho reforçado que as lutas e o papel dos movimentos sociais e conselhos são fundamentais no controle público das políticas públicas. A palavra ‘luta’ faz parte do nosso cotidiano: a luta por direitos, pela afirmação dos nossos modos de ser”, afirmou.

O secretário de Promoção da Igualdade Racial, Ronaldo Barros, vê com preocupação o atual cenário político do país em relação às políticas da pasta. “Com a ascensão de um projeto conservador de governo, as pautas da Igualdade Racial serão as primeiras a sofrer impacto”, afirmou.

Também participaram do primeiro dia da 55ª Reunião ordinária do CNPIR a senadora Regina Sousa (PT / Piauí) e o deputado Orlando Silva (PCdoB / São Paulo). Os parlamentares fizeram uma análise de conjuntura relativa à pauta racial. A senadora Regina Sousa falou sobre sua trajetória na defesa dos direitos humanos e da população negra. “Sou a única senadora assumidamente negra. Tenho promovido no Senado Federal debates sobre a questão de gênero, a violência contra a mulher, principalmente contra a mulher negra. A luta contra o preconceito também é minha e meu gabinete está à disposição para as pautas do Conselho”, afirmou a senadora.

Já o deputado Orlando Silva enfatizou o papel do CNPIR e sua importância na garantia de direitos. “Esse Conselho não se omite na luta pela promoção da igualdade racial no Brasil. O atual momento pelo qual o país passa faz parte de uma contra-onda que vem acontecendo na América Latina, onde as elites têm se mobilizado para derrubar as conquistas das camadas historicamente oprimidas e discriminadas. Houve um esforço popular de enfrentamento a um projeto histórico e as elites não aceitam isso. Não é um fato inédito nem isolado no Brasil. As elites de nosso país não medem seus movimentos e têm um aparato de mídia gigantesco, que seleciona as pautas de seu interesse, sem nenhum compromisso com a democracia. Por isso, devemos seguir na luta, pois temos uma causa justa, um compromisso com as classes populares, com o Brasil. São nossos sonhos e objetivos que alimentam nossa luta, não nascemos dentro do governo e nem morreremos fora dele. Queremos um Brasil com dias melhores, com alegria e solidariedade, não dias de sombra e de perda de direitos”, declarou o deputado.

A programação da 55ª Reunião Ordinária do CNPIR continua nesta quinta-feira (28), com a discussão da IV Conferência Nacional de Promoção da Igualdade Racial, prevista para 2017, diálogo com o secretário de Assuntos Legislativos do Ministério da Justiça, Gabriel Sampaio, e com a palestra do senador Paulo Paim (PT / RS).

Sobre o CNPIR

O Conselho Nacional de Políticas de Igualdade Racial (CNPIR) é um órgão colegiado, de caráter consultivo e integrante da estrutura básica da Seppir. Sua principal missão é propor políticas de promoção da igualdade racial, com ênfase na população negra e outros segmentos raciais e étnicos da população brasileira. Além do combate ao racismo, o CNPIR tem por missão propor alternativas para a superação das desigualdades raciais, tanto do ponto de vista econômico quanto social, político e cultural, ampliando, assim, os processos de controle social sobre as referidas políticas.

Acesse o site de origem:  Conselho discute perspectivas das políticas de igualdade racial (Seppir, 27/04/2016)

Compartilhar: