“É triste dizer que o nosso país ainda é racista”, declara secretário especial de Direitos Humanos

842
0
Compartilhar:
image_pdfPDF

(Último Segundo, 19/11/2015) Rogério Sottili, secretário especial de Direitos Humanos, alerta que políticas públicas não foram suficientes para conter o crescimento dos assassinatos com as mulheres negras no Brasil

O secretário especial de Direitos Humanos, Rogério Sottili, assumiu o comando da pasta na reforma ministerial feita presidente Dilma Rousseff no segundo semestre e aposta na aponta a educação em Direitos Humanos como política mais estratégica para que o país amadureça democraticamente.

Em entrevista ao iG, Sottili aponta a face mais perversa do racismo e da violência contra mulheres em nossa sociedade que produziu nos últimos 10 anos 54% a mais de mulheres negras assassinadas, na contramão dos demais índices de violência que se retraíram.

O secretário falou ainda da falta de maturidade política brasileira que produz violações de direitos humanos e uma continuidade do processo eleitoral do ano passada, com as sucessivas tentativas de impeachment da presidente Dilma Rousseff.

entrev-rogerio-sottili4

Luciana Lima

Acesse no site de origem: “É triste dizer que o nosso país ainda é racista”, declara secretário especial de Direitos Humanos (Último Segundo, 19/11/2015)

Compartilhar: