Trabalho escravo: tráfico para exploração sexual entre crimes mais comuns em São Paulo

648
0
Compartilhar:
image_pdfPDF

(TRT2SP, 30/01/2015) Pesquisa sobre trabalho escravo e exploração sexual foi apresentada nesta sexta-feira, dia 30, no auditório do Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região, em São Paulo. O relatório foi elaborado pela Secretaria de Estado da Justiça e da Defesa da Cidadania, a partir de análise de procedimentos judiciais e extrajudiciais do Ministério Público do Trabalho (MPT) e Ministério Público Federal (MPF) e revela que houve exploração laboral em 63% das situações e exploração sexual em 37% dos casos. Entre as vítimas, 65% eram homens, 64% tinham entre 18 e 30 anos e 13% eram menores de 18 anos. Em relação aos acusados, 77% eram homens, e quase metade tinha entre 41 e 50 anos. Foram analisados 171 procedimentos do Ministério Público Federal e 86 do Ministério Público do Trabalho. Os dados de cada instituição foram estudados separadamente.

Acesse a íntegra no Portal Compromisso e Atitude: Trabalho escravo: tráfico para exploração sexual entre crimes mais comuns em São Paulo (TRT2SP, 30/01/2015)

Compartilhar: