Violência doméstica: empresas criam iniciativas para proteger funcionárias

Compartilhar:
image_pdfPDF

(Uol | 18/08/2020 | Por Ana Prado)

No banheiro masculino, funcionários da rede de lojas Marisa podem se deparar com algumas mensagens inesperadas. Não são os alertas tradicionais de qualquer empresa. Eram cartazes com frases como “Mulher é tudo igual: todas merecem respeito” e traziam para o ambiente corporativo um tema ainda tabu na sociedade: a violência doméstica. O assunto faz sentido para uma companhia composta por 72% de mulheres. Mas, aos poucos, também está entrando na pauta de outras organizações. E se tornou particularmente mais relevante ao longo da pandemia, que forçou o convívio dos casais em tempo integral. Em março, após o início do isolamento social, o número de feminicídios aumentou, segundo dados do Fórum Brasileiro de Segurança Pública. Em abril, o total de denúncias recebidas no telefone 180, dedicado à mulher, foi 36% maior do que no mesmo mês em 2019.

Acesse o artigo completo no site de origem.

Compartilhar: