O interminável ciclo de violência na América Latina, por Aldo Adrián Martínez-Hernández

Compartilhar:
image_pdfPDF

Na pandemia, violência doméstica aumentou alarmantemente, assim como crimes cibernéticos

(Folha de S.Paulo | 28/01/2021 | Por Aldo Adrián Martínez-Hernández)

Até antes da pandemia, a violência era, juntamente com o desemprego, a corrupção e a economia, uma das maiores preocupações dos latino-americanos, tornando-se um dos assuntos que ganhava crescente relevância na agenda política e governamental da região. Os dados mais recentes do Estudo Global sobre Homicídios da ONU indicam que a América Latina e o Caribe é uma das regiões com a mais alta taxa de homicídios do mundo.

A região também apresenta índices muito altos de violência produzida na esfera privada. Prevalece a violência caracterizada por homicídios e não a violência autodirigida, como suicídios, ou a violência coletiva, como guerras, terrorismo. Portanto, é um tipo de violência associada principalmente aos graves problemas do tráfico de drogas e dos grupos organizados.

Acesse o artigo completo no site de origem.

Compartilhar: