Violência doméstica aumenta após medidas de isolamento social

Compartilhar:
image_pdfPDF

O isolamento social imposto como uma das medidas de contenção do coronavírus já começou a mostrar seus efeitos sobre os registros de violência doméstica em algumas cidades brasileiras.

(Agência Patrícia Galvão, 26/03/2020)

No Rio de Janeiro, o plantão judiciário registrou crescimento de 50%. Em Curitiba/PR, as delegacias de plantão tiveram aumento no número de casos de violência doméstica no primeiro fim de semana de confinamento. “Com a orientação para que as pessoas fiquem nas suas residências, o número de ocorrências entre as pessoas em casa, como briga entre marido e mulher, briga entre irmãos, tem aumentado muito”, afirma o comandante da PM, coronel Hudson Teixeira.

No Help Centro de Desenvolvimento Social e Capacitação Humana, casa abrigo que acolhe mulheres em situação de violência na Baixada Santista, em São Paulo, o movimento triplicou, passando da média de duas vítimas para seis em um único dia.

Saiba mais:
Casos de violência doméstica no RJ cresceram 50% durante confinamento, aponta o plantão judiciário
Abrigo para mulheres na Baixada Santista/SP vê busca triplicar após pandemia
Número de casos de violência doméstica aumenta em Curitiba na quarentena, diz polícia

Por outro lado, a queda no número de denúncias registradas pela polícia de Santa Catarina acendeu o alerta para a urgência de divulgar os canais de atendimento de acionamento remoto. Denúncias de violência doméstica caem 65% em SC; polícia divulga novos canais de denúncia

Na Paraíba, entra hoje em vigor lei que determina, sob pena de multa, que os condomínios residenciais denunciem à polícia as ocorrências de violência doméstica. Lei obriga condomínios na Paraíba a denunciarem agressões domésticas contra mulheres

Já a Secretaria da Mulher do Distrito Federal lançou campanha ontem, 25, com o slogan “Mulher, você não está só”. O objetivo é informar as vítimas que os serviços de proteção não pararam em decorrência do isolamento social, mas sofreram alterações no funcionamento. “Mulher, você não está só”: campanha no DF busca conscientizar vítimas

Juizados de violência doméstica reforçam divulgação da continuidade dos serviços em MS
Preocupados com o aumento da violência contra a mulher neste período de isolamento, os juízes e juízas de violência doméstica reforçam a divulgação de que estão atendendo as mulheres e analisando todos os pedido de medidas protetivas. A Casa da Mulher Brasileira mantém o funcionamento 24h. Informam ainda que os serviços de acolhimento também estão mantidos.

 

Compartilhar: