Vozes pelo aborto

11/07/2017 - 14:21 -
Print Friendly, PDF & Email
Email this to someoneShare on Facebook0Tweet about this on TwitterShare on Google+0

Site americano Shout Your Abortion publica depoimentos de mulheres sobre seus abortos para combater o estigma do procedimento e defender o direito à escolha

(Revista Trip, 11/07/2017 – acesse no site de origem)

Diana engravidou há 25 anos, quando estava prestes a ir à faculdade. Ela não planejava ter um filho. E não teve. “Tive a sorte de morar no estado de Nova York e 1973 foi o primeiro ano que o aborto tornou-se legal.” Jordan também realizou o procedimento anos atrás: “Naquela época, não sabia o que fazer comigo mesma, estava em um relacionamento tóxico, infeliz e sem dinheiro”. Carmela fez um aborto aos 21 anos e outro dois anos depois: “Hoje tenho dois filhos e posso cuidar deles porque os tive quando estava pronta”. Esses e outras centenas de depoimentos foram publicados em vídeos ou em relatos escritos no site Shout Your Abortion, projeto norte-americano que tem como objetivo romper o silêncio e o preconceito que cerca o aborto. “Discutia sempre sobre direitos reprodutivos com mulheres à minha volta, mas raramente falávamos sobre nossas experiências com o aborto”, lembra Amelia Bonow, criadora do SYA, à Tpm. “Percebi que quando me referia à minha história, elas eram recíprocas. E tínhamos então uma conversa sobre o quão estranho era ninguém falar sobre suas experiências, mesmo quando não se envergonhavam delas. Comecei a achar que o meu silêncio era uma forma de cumplicidade.”

(Foto: David Choe)

Em setembro de 2015, motivada pela votação na Câmara dos Representantes dos Estados Unidos para retirar fundos do Paternidade Planejada – a organização é a maior provedora de cuidados de saúde reprodutiva nos Estados Unidos, faz campanhas educativas, distribui anticoncepcionais e realiza abortos (o procedimento foi legalizado no país em 1973) –, Amelia decidiu escrever no Facebook a respeito de seu aborto. “Contei que não estava envergonhada, arrependida e que sentia que o movimento  anti-escolha dependia fortemente do silêncio das mulheres que fizeram abortos.” Amelia também enviou o relato a Lindy West, escritora feminista com um grande número de seguidores no Twitter. Lindy, por sua vez, postou o depoimento em sua rede social acompanhado da hashtag #ShoutYourAbortion, que viralizou rapidamente e milhares de mulheres começaram a compartilhar suas histórias.

(Foto: Kelly O)