Balanço do ‘Brasil Sem Miséria’: 580 mil crianças em creches e 14,1 milhões de famílias recebem Bolsa Família

2789
0
Compartilhar:
image_pdfPDF

(Metro-DF, 06/06/2014) Governo ainda faz esforço para localizar pessoas sem assistência social que vivem em condição de extrema pobreza.

Pelo menos 300 mil famílias seguem invisíveis aos olhos do Estado, sem assistência social e vivendo abaixo da linha da pobreza no Brasil, segundo dados do balanço do terceiro ano do programa Brasil Sem Miséria, divulgado ontem. O fim da miséria extrema até o fim do ano é um compromisso do governo, que ainda tentará localizar esse grupo de pessoas por meio da Busca Ativa, rede de assistência social que atua junto com Estados e prefeituras de regiões metropolitanas.

Pelos critérios do programa, são considerados miseráveis pessoas que vivem com até R$ 77 por mês.

Resultados positivos Criado em junho de 2011, o programa superou todas as metas. Ao todo, 22 milhões de brasileiros saíram da miséria. Do total, 1,2 milhão de famílias foram localizadas e incluí- das no programa de transferência de renda.

O maior impacto foi no Bolsa Família: 14,1 milhões de famílias atendidas, com benefício médio de R$ 242. A cobertura de saúde e educação também foi ampliada: caiu em 58% a mortalidade infantil por desnutrição e houve aumento de 50 % nas consultas de pré-natal. Além disso, 580 mil crianças foram matriculadas em creches. Os alunos benefíciários do Bolsa Família têm as menores taxas de abandono: 7,4% no ensino médio e 2,8% no ensino fundamental.

Acesse o PDF: 300 mil famílias ainda vivem na miséria no país (Metro-DF, 06/06/2014)

 

 

Compartilhar: