Adeus, Rose Marie Muraro

1224
0
Compartilhar:
image_pdfPDF

Nota de falecimento recebida do  Instituto Rose Marie Muraro em 21/06/2014, às 16:47

“Estive no velório da Rose Muraro: um emocionante momento de reunião entre a família, companheiros de luta e trabalho e feministas. Foram momentos ininterruptos com falas, homenagens, cantoria, recitação de versos, orações, num ambiente de pura reverência a esta mulher que para o feminismo brasileiro é um ícone. Estavam lá a ministra Eleonora Menicucci e a ex-ministra Nilcea Freire. Depois do velório nos reunimos para brindar, no Largo do Machado: feministas de várias gerações e diferentes inserções. Um encontro como há muito não acontecia no Rio de Janeiro. Obrigada Rose, por você ter existido e nos deixado uma linda herança”, Angela Freitas, associada fundadora do Instituto Patrícia Galvão e ativista da Articulação de Mulheres Brasileiras.

Leia também: Dilma lamenta morte da intelectual Rose Marie Muraro (Portal Brasil, 22/06/2014)

Rose Marie Muraro (Foto: Tasso Marcelo/AE)

Rose Marie Muraro acaba de nos deixar e partir para outra dimensão.
Lutou por sua vida até o ultimo fôlego e neste momento:

A família perde sua matriarca
As mulheres perdem uma amiga e
A sociedade brasileira perde uma grande aliada.

Os mais de sessenta anos de dedicação ao nosso País, sua luta e conquistas pelos direitos das mulheres, seu sonho de construir um mundo mais humano e solidário, o seu imensurável amor pela vida, nos revelam que Rose, além de um exemplo de superação foi realmente Uma Mulher Impossível! Mas agora nos deixa na condição de órfãos de sua beleza, de sua cabeça fascinante, de sua capacidade de criar o impossível para uma realidade palatável,  de onde sua sensibilidade e profundidade podiam vislumbrar a grande beleza neste planeta.

Os seus últimos quinze anos de vida foram preenchidos de muitas batalhas, mas também engrandecida com uma linda história de Um Grande Amor. E nos deixou, mais este apaixonado e inédito  poema:

O Pássaro de Fogo

Tu vieste como um pássaro
E pousaste no meu ombro
E eu fui habitada
Pela paixão da entrega.

Eu te amei antes que tu existisses
Como o deserto que tem sede de água
E as flores tem sede da luz
E te amei como a pedra ama a terra
Que lhe dá sua força.

Com teu bico colocaste na minha mão esquerda
A semente da morte
E na direita a semente da vida
Para que com as duas juntas
Eu fizesse a escolha de cada momento,
Ligando o instante à sua profundidade eterna.

Pássaro de fogo
Capaz de queimar sem consumir
Estás dentro de mim.

Pássaro de fogo
Irei onde tuas asas me conduzirem
E meu caminho se tornou incandescente
Como teus olhos.

O velório será no Memorial do Carmo (RJ) na capela 06 das 8h às 16 h, horário em que será cremada.

ICRM – Instituto Cultural Rose Marie Muraro
[email protected]
21-3649-7440 / 98224-6522

Atualizada em: 25/06/2014 às 11h58.

Compartilhar: