20/09/2013 – Para SPM, resultados positivos na economia sinalizam benefícios de emprego e renda para as mulheres

195
0
Compartilhar:
image_pdfPDF

(SPM) Os últimos indicadores divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontam a retomada do crescimento da economia brasileira. No final de agosto, o IBGE apresentou os resultados do Produto Interno Bruto (PIB), que cresceu 1,5% no segundo trimestre de 2013 (de abril a junho) em relação ao trimestre anterior, contrariando as expectativas. Em comparação ao mesmo período de 2012, o crescimento do PIB foi de 3,3%.

Surpreendendo as previsões do mercado, as vendas do comércio varejista também apresentaram elevação positiva. O varejo cresceu 1,9% em julho em comparação ao mês de junho, de acordo com dados divulgados pelo IBGE no dia 12 de setembro. Este é o melhor resultado das vendas do varejo nos últimos 18 meses.

Para Hildete Pereira, assessora especial da Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República (SPM-PR), estas notícias têm grande significado, porque mostram que a economia brasileira pode estar mudando de rumo. Ela explica que esta elevação do PIB “foi puxada pelo investimento e pelas exportações e supera a taxa dos países desenvolvidos, inclusive Estados Unidos, excetuando apenas a China”.

Hildete esclarece que as exportações tiveram uma elevação de 6,9%, enquanto as importações cresceram apenas 0,6%. Já a taxa de investimento teve uma elevação de 3,6%. “Este resultado significou uma guinada para a economia brasileira e a melhora do panorama econômico do País”, pontua.

Mas quais são os impactos efetivos do crescimento da economia na vida de mulheres e homens? Hildete explica que o aumento do PIB significa também geração de emprego e renda. “O resultado do cálculo do PIB define um horizonte de expectativas do empresariado, permite que ele tome decisões econômicas a longo prazo”, afirma.

Segundo Hildete, “os empresários apenas irão investir em seus negócios se houver crescimento da economia”. Isso significa que o crescimento do PIB possibilita o aumento dos investimentos nas fábricas, lojas e empresas, o que proporciona o aumento de contratações e empregos. E, consequentemente, a geração de renda.

O que é o PIB?

O Produto Interno Bruto é o somatório do valor de todos os bens e serviços produzidos pelo País em um determinado período. Seu objetivo é medir a atividade econômica e o nível de riqueza de uma região.

No cálculo do PIB, entram os bens e produtos finais — vendidos ao consumidor final —, os serviços prestados e remunerados, os investimentos das empresas e os gastos do governo.

O que é comércio varejista?

O comércio varejista engloba os setores do comércio que vendem as mercadorias diretamente para o consumidor final. No Brasil, fazem parte deste setor os supermercados, as farmácias, concessionárias de veículos, lojas de vestuário, de material de construção, de móveis e decoração, de eletrodomésticos, livrarias, entre outros.

Periodicamente, o IBGE realiza a Pesquisa Mensal de Comércio, que produz indicadores que permitem acompanhar as vendas e tendências do comércio varejista no País.

O comércio varejista pertence ao setor de serviços da economia, um dos fatores presentes no cálculo do PIB.

Acesse o PDF: Resultados positivos na economia sinalizam benefícios de emprego e renda para as mulheres (SPM, 20/09/2013)

Compartilhar: