Com apoio da ONU, lideranças avaliam Política Nacional de Atenção à Saúde da Mulher

644
0
Compartilhar:
image_pdfPDF

(ONU Brasil, 03/03/2016) Durante oficina promovida pela Secretaria de Políticas para as Mulheres do governo brasileiro em parceria com o Ministério da Saúde, o UNFPA e a ONU Mulheres, houve consenso de que é necessário fortalecer os movimentos de mulheres para que seja possível fortalecer o monitoramento das políticas voltadas à mulher.

Cerca de 50 representantes de movimentos sociais, movimentos feministas e de mulheres das cinco regiões do país se reuniram nesta segunda (29) e terça-feira (1), em Brasília (DF), para participar da Oficina de Capacitação no Monitoramento e Acompanhamento da Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Mulher (PNAISM) e do Plano Nacional de Políticas para as Mulheres (PNPM).

Elas expuseram as dúvidas e os desafios que o comitê de monitoramento tem para avaliar e acompanhar o plano de saúde integral à mulher nos estados e municípios.

A reunião foi aberta pela secretária-adjunta de Articulação e Ações Temáticas da Secretaria de Políticas para as Mulheres (SPM) do Ministério das Mulheres, da Igualdade Racial e dos Direitos Humanos, Linda Goulart. “Esse encontro só faz sentido se pudermos aperfeiçoar o que está dando certo e mudar o que não está”, afirmou.

De acordo com a secretária, é muito importante fortalecer as ações voltadas para a saúde da mulher. Entre as participantes, houve consenso de que é necessário fortalecer os movimentos de mulheres para que seja possível fortalecer o monitoramento das políticas voltadas à mulher.

A oficina foi promovida pela SPM em parceria com o Ministério da Saúde, o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) e a ONU Mulheres e integra as atividades para o fortalecimento da implementação da PNAISM e das ações do capítulo 3 (Saúde Integral das Mulheres, Direitos Sexuais e Reprodutivos) do PNPM.

As atividades contaram com a participação da ativista pelos direitos das mulheres e uma das fundadoras da Rede Feminista de Saúde, Maria José Araújo, especialista em Saúde Mental Materna e Infantil; e Cecília Simonetti, mestre em saúde coletiva.

Estão previstas outras quatro edições da Oficina destinadas aos Organismos de Políticas para as Mulheres (OPMs) dos municípios com população acima de 50 mil habitantes de todas as regiões do país. A próxima edição ocorrerá nos dias 21 e 22 de março, em Brasília (DF), e contemplará os OPMs das regiões Norte e Centro Oeste.

Acesse no site de origem: Com apoio da ONU, lideranças avaliam Política Nacional de Atenção à Saúde da Mulher (ONU Brasil, 03/03/2016)

Compartilhar: