Conheça as propostas contempladas pelo edital de “Jornalismo Investigativo em Direitos Humanos, Aborto e Saúde Pública”

Compartilhar:
image_pdfPDF

O Instituto Patrícia Galvão e seus parceiros, Abraji (Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo) e Global Health Strategies, têm o prazer de divulgar o resultado do edital “Jornalismo Investigativo em Direitos Humanos, Aborto e Saúde Pública”, lançado em março deste ano.

O objetivo do edital foi estimular a realização de reportagens investigativas sobre questões e histórias pouco exploradas pela imprensa que contribuam para o aprofundamento do debate público sobre a problemática do aborto no país a partir de uma perspectiva de direitos humanos e saúde pública.

O Instituto Patrícia Galvão recebeu cerca de 200 propostas e cinco foram selecionadas para serem apoiadas com financiamento de até R$ 10 mil.

As/os apoiadas/os são:

– Maria Fernanda Ribeiro (São Paulo)

– Edvan Lessa e Clarissa Viana Matos de Moura (Bahia)

– Jennifer Hartmann (Santa Catarina)

– Mônica Tarantino e Luiza Villaméa (São Paulo)

– Eduardo Nascimento, Nathallia Fonseca, Roberta Veras e Bárbara Collier (Pernambuco)

Fizeram parte do comitê de seleção as/os jornalistas: Marina Atoji (Abraji), Maria Paola de Salvo (GHS), Marisa Sanematsu (IPG), Cristiane Segatto (Infoglobo) e Caio Quero (BBC Brasil).

Os critérios para a seleção incluíram: adequação aos termos e temas do edital, qualidade de elaboração da proposta, inovação, viabilidade financeira e de realização, urgência do tema, bem como alcance e capacidade de influenciar o debate público.

As propostas apoiadas possuem temas relacionados ao aborto entre mulheres indígenas, impactos do aborto na saúde, nas relações familiares e afetivas, aborto clandestino, misoprostol e aborto no Congresso Nacional.

“Foi uma grata surpresa receber quase duas centenas de propostas, enviadas por jornalistas de todas as partes do país e com todos os níveis de experiência, e com tanta qualidade e inovação. Essa boa receptividade à iniciativa do edital mostra como há entre os profissionais de imprensa uma grande disposição de trabalhar o tema do aborto em profundidade e contribuir para a ampliação desse debate tão urgente.”
Jacira Melo, diretora executiva do Instituto Patrícia Galvão

As/os jornalistas selecionadas/os assinarão com o Instituto Patrícia Galvão um contrato de entrega de produto em que estarão definidos os direitos e responsabilidades das partes envolvidas. Em seguida as/os jornalistas receberão o apoio financeiro e terão quatro meses para completar e divulgar o material produzido, conforme plano de disseminação constante da proposta aprovada.

Compartilhar: