09/11/09 – Meio milhão de mulheres morrerão de Aids neste ano, diz OMS

907
0
Compartilhar:
image_pdfPDF

g1portal091109mesarelatoriooms
Relatório divulgado pela OMS (Organização Mundial da Saúde) prevê que neste ano meio milhão de mulheres morrerão de Aids, outro meio milhão de tuberculose, e outras 500 mil por causas relacionadas à gravidez e ao parto por falta de assistência.

Apresentado pela OMS em 09/11/09, o relatório indica as necessidades de saúde das mulheres e mostra como a desigualdade social entre os sexos é tão grande que as comprovadas vantagens biológicas e de comportamento das mulheres não são suficientes para garantir uma vida mais saudável e longa. Segundo a pesquisa, as mulheres enfrentam muito mais dificuldades que os homens para se curar de doenças devido às desigualdades nas áreas de educação, renda e emprego. O relatório aponta a contradição: embora as mulheres contribuam enormemente para melhorar a saúde da sociedade, como cuidadoras principais das famílias, os sistemas de saúde não atendem as suas necessidades.

Segundo a OMS, a Aids é a primeira entre as causas de morte entre mulheres em idade reprodutiva no mundo e as complicações durante a gravidez e no parto são o principal fator de risco de morte em mulheres entre 15 e 19 anos. O relatório mostra a relação entre pobreza e acesso à saúde: 90% dessas mortes ocorrem em países em desenvolvimento.

O relatório destaca que as meninas e as mulheres são particularmente vulneráveis à infecção pelo HIV devido a uma combinação de fatores biológicos e desigualdades de gênero, que envolvem desde o desconhecimento sobre o vírus até sua capacidade ter relações sexuais sem risco. Segundo a pesquisa da OMS, a violência sexual é outro fator de risco para a saúde das mulheres.

Acesse a matéria em pdf: Portal G1 – 091109  

Indicação de fontes:

Ana Cristina Tanaka – médica e profa.
Departamento de Saúde Materno-Infantil da Faculdade de Saúde Pública da USP
São Paulo/SP
(11) 3061-7128 / 3061-7721
[email protected]
Fala sobre: saúde pública; saúde da gestante; morte materna; índices de mortalidade materna

 Regina Barbosa – médica e pesquisadora do Nepo/Unicamp
CRT-DST/Aids – Centro de Referência e Treinamento em DST/Aids da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo
São Paulo/SP
(19) 3788-5898 / 3788-5890
[email protected]
Fala sobre: saúde coletiva; políticas de Aids; prevenção, controle, diagnóstico e tratamento da Aids entre mulheres

Télia Negrão – jornalista e secretária executiva da Rede Feminista de Saúde
Rede Feminista de Saúde, Direitos Sexuais e Direitos Reprodutivos
Porto Alegre/RS
(51) 9984-1553
[email protected]
Fala sobre: direitos sexuais e direitos reprodutivos

Wilza Villela – médica e pesquisadora
Departamento de Medicina Preventiva da Faculdade de Medicina da Unifesp
São Paulo/SP
(11) 5572-0609
[email protected]
Fala sobre: direitos sexuais; maternidade voluntária

 

 

Compartilhar: