78% dos juízes e promotores apóiam mudança na lei sobre anencefalia

867
0
Compartilhar:
image_pdfPDF
Estudos realizado com magistrados e promotores do país apontam que 78% aprovam uma ampliação das possibilidades de interrupção da gravidez.
Hoje, o Código Penal prevê o aborto legal quando há risco de morte para a gestante e em caso de gestação decorrente de violência sexual.
Nas pesquisas foram ouvidos 1.493 juízes e 2.614 promotores de todas as regiões do país. Acesse artigo em pdf

Os estudos foram realizados pelo Cemicamp (Centro de Pesquisas em Saúde Reprodutiva de Campinas) e pela Faculdade de Ciências Médicas da Unicamp.

Segundo a pesquisadora Graciana Duarte, do Cemicamp, as 35 perguntas das pesquisas foram enviadas a juízes e promotores por meio de malotes, com apoio de associações de classe das duas categorias. Os estudos começaram em 2005 e foram concluídos em 2008.

Indicação de fontes:

Aníbal Faúndes – médico ginecologista e obstetra
(19) 3289.2856 – [email protected]
Fala sobre: aborto legal; medicina fetal 

Graciana Alves Duarte – socióloga e pesquisadora do Cemicamp – Centro de Pesquisas em Saúde Reprodutiva de Campinas
19 9714.4261 – [email protected]  
Fala sobre: aborto legal; medicina fetal  

José Henrique Torres – juiz de Direito e integrante da Associação Juízes para a DemocraciaFederação das Associações dos Juízes para a Democracia da América Latina

(19) 3236.8222 – 9174.7568 – [email protected]
Fala sobre: direito ao aborto legal; visão jurídica
Compartilhar: